Remanejamento de contratos permite redirecionar serviços

Hospital de campanha na Avenida Cívica ganha reforço de serviços de limpeza
Hospital de campanha na Avenida Cívica ganha reforço de serviços de limpeza - FOTO: Mariana Acioli
A Prefeitura de Mogi das Cruzes anunciou que está praticando o remanejando de contratos firmados antes do período da pandemia para atender demandas atuais geradas pelo novo coronavírus. A análise e negociação individual com os fornecedores sobre os contratos de prestação de serviços para a prefeitura é desenvolvida pela Comissão de Análise e Revisão de Contratos (Comarca), formada por representantes de várias secretarias.

Exemplo deste novo mecanismo adotado pela administração municipal é o direcionamento dos serviços de contratos de limpeza das unidades escolares para o hospital de campanha que segue em construção na Avenida Cívica, no Mogilar, e para Hospital Municipal, em Braz Cubas, reforçando o trabalho que já era executado mesmo antes da pandemia.

Segundo informou a prefeitura, tal formato de gestão permite que a administração municipal economize recursos, utilizando um contrato já existente em vez de fazer nova contratação, e preserve os empregos dos prestadores de serviço. No caso do remanejamento de contratos de limpeza das unidades de ensino municipais, tal remanejamento foi possível devido ao fechamento das escolas durante este período de crise sanitária.

Outras medidas financeiras estão sendo adotadas pelo Executivo mogiano em meio a pandemia da Covid-19. A prefeitura informou que acompanha a economia gerada com a redução dos serviços públicos presenciais e o fechamento do prédio da própria administração municipal. Com isso, o fornecimento de itens que são utilizados no dia a dia de atendimento também foi dimensionado. "O mesmo vale para alguns contratos de prestação de serviços que tiveram redução com a diminuição dos atendimentos. Nestes dois casos, a prefeitura também economiza recursos, que são direcionados para o combate à pandemia de Covid-19 e ao coronavírus", destacou o Executivo, em nota.

E não é para menos. As medidas que visam remanejamento de contratos se mostram necessárias em tempos de quarentena. Levamento realizado pela reportagem no último dia 16 apontou que desde a publicação do decreto de calamidade pública em Mogi das Cruzes, a prefeitura já gastou ao menos R$ 745.545 em compras sem processo licitatório relacionadas à pandemia do novo coronavírus. São gastos com insumos para as unidades de Saúde do município e também itens relacionados ao novo hospital de campanha, que continua sendo construído ao lado do ginásio municipal Professor Hugo Ramos, na Avenida Cívica.

Deixe uma resposta

Comentários