Em 24 horas, Reino Unido soma 917 óbitos

O Reino Unido voltou a registrar quase mil mortos - 917 - pelo coronavírus em 24 horas, segundo informou o governo ontem. Agora já são 9.875 vítimas pela covid-19 entre os britânicos.

Na sexta-feira passada, o país já havia registrado 953 mortes, o maior número em um dia.

Há a expectativa de que o pico da doença no país esteja próximo, podendo ocorrer hoje, e o Sistema Nacional de Saúde (NHS, na sigla em inglês) se prepara para um "tsunami" de casos neste fim de semana.

Com uma avaliação muito elevada do pronunciamento que fez à nação pela televisão na semana passada por causa da pandemia da Covid-19 e com o primeiro-ministro, Boris Johnson, internado no hospital por causa da doença, a rainha Elizabeth fez algo inédito: um novo discurso à nação menos de uma semana depois de ter levado uma mensagem a milhões de britânicos que aguardaram suas palavras e ouviram a promessa de que "nos encontraremos de novo". Seu foco, ontem, foi dizer que a Páscoa "não foi cancelada", mas que é preciso um esforço de isolamento de todos para que outras pessoas fiquem a salvo. "O coronavírus não vai nos vencer", afirmou a monarca de 93 anos.

A rainha fez a gravação do áudio no Castelo de Windsor, onde está isolada há três semanas ao lado do marido, o duque de Edimburgo. Elizabeth II voltou-se às famílias de todo o país novamente, enfatizando a dor de perder entes queridos por causa da Covid-19. Nos últimos três dias, os números oficiais do Reino Unido apontaram para quase mil mortos a cada 24 horas. O número total está próximo a 10 mil. A expectativa é a de que o país esteja muito próximo de passar pelo pico da pandemia.

A mensagem da Páscoa vem em um momento em que vários departamentos do governo fazem uma maciça campanha pela internet e a televisão solicitando às pessoas que fiquem em casa. (E.C.)