Reflexos políticos

Muitas projeções, inclusive realizadas por este jornal, apontam que a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) deixará marcas na sociedade que podem perdurar para as próximas gerações. Entretanto, não distante dos olhos dos brasileiros, as eleições municipais seguem sendo mantidas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e certamente também serão afetadas diretamente pela patologia que se disseminou Brasil afora.

Se não pelo adiamento do pleito - possível reflexo mais visível do atual momento e de simples compreensão - , as respostas à crise gerada por parte dos governantes também serão decisivas para os resultados de outubro e podem alterar a percepção do eleitorado.

Durante o período da pandemia, o foco dos julgamentos populares estão nas decisões estratégicas dos governantes. As medidas de construção de hospitais de campanha, manutenção do isolamento social com o fechamento do comércio não essencial e outras determinações que dividem opiniões estão sendo avaliadas pelo eleitorado municipal, que certamente colocará em julgamento esses ingredientes quando estiver frente a frente com a urna.

Todos os prefeitos das cidades do Alto Tietê estão passando por uma alta exposição e tendo suas decisões avaliadas. Alguns conseguem aproveitar o momento e mostrar para a população que estão prontos para a reeleição, enquanto outros, com medidas mais brandas, ignorando o problema causado pelo coronavírus e com afirmações incabíveis para o momento de crise, perdem fôlego e certamente terão mais dificuldades para alcançar seus objetivos perante o eleitorado.

E os efeitos da pandemia não param por aí. No melhor dos cenários, levando em conta que a doença seja controlada e não haja um colapso do sistema de Saúde do Brasil, as eleições devem ser mantidas para outubro. Entretanto, as campanhas "corpo a corpo", importantes e determinantes para boa parte dos prefeitos e vereadores, terão de ser realizadas com diversas ressalvas, a fim de preservar a integridade dos políticos e principalmente da população. Isso se realmente o calendário eleitoral mantiver a votação para outubro próximo.