Plano racional e disciplina moral

O Estado deve funcionar como um instrumento da sociedade. Mas a falsidade, a politicagem, o materialismo e a loucura por lucro material individual, destróem a sociedade e vem a pergunta: "Em quem devo confiar"? Na sociedade atual não se verifica tendências para um plano moral. O Estado como instrumento da sociedade está decaído. Foram passando governantes nas três esferas de poder, ou seja, Estados, municípios e União, deixando rastros de oportunismos.

Os cidadãos honestos estão pagando um preço muito alto em todas as esferas. A sociedade é um todo, mas os donos do poder veem a sociedade e os cofres da nação como suas propriedades ou de quem está no comando. Verificamos que há pessoas que estão mais e mais corrompendo a sociedade, sem nenhuma disciplina moral ou plano racional para o desenvolvimento. Justificam as suas condutas por meios danosos dizendo não estão prejudicando ninguém, mas lutando para sobreviver. Diante de uma crise que se está vivendo, embora parte desta crise seja artificial, mas surgem os aproveitadores.

A retidão foi eliminada, a iniquidade habita em seus corações danosos de alguns governadores. As éticas morais estão sendo violadas e a constituição foi colocada de lado. É uma convulsão. A ignorância vem tomando conta e os oportunistas se impõem. O pior vírus é o do oportunismo. Empresas laboratoriais tirando proveitos, políticos fazendo caridades para tirar proveito futuro. Amar ou odiar, eis a questão!

Para o mundo materialista, não interessa falar de consciência política, pois o que está em jogo é o domínio da sociedade pelas autoridades. Está prevalecendo o egoísmo. Portanto, há necessidade de desenvolver nas mentes dos cidadãos a honestidade, o combate ao egoísmo, desfortalecer o ego e passar a desenvolver amor para toda a humanidade. Quando o amor de um ser humano cresce, sua mente e o coração prevalecem. Então, despeje o seu amor e ajude a levantar a sociedade.

Deixe uma resposta

Comentários