Governo estuda liberar mais três parcelas

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou ontem que o governo estuda liberar mais três parcelas do auxílio emergencial, pago a trabalhadores informais, desempregados e autônomos como forma de atenuar os efeitos do coronavírus na economia. O anúncio foi feito durante transmissão ao vivo em rede social, ao lado do ministro da Economia, Paulo Guedes. Ainda segundo o presidente, as novas parcelas vão ter valores decrescentes.

"O auxílio emergencial vai partir para uma adequação. Serão R$ 1,2 mil em três parcelas. Deve ser dessa maneira, estamos estudando: R$ 500, R$ 400 e R$ 300", afirmou Bolsonaro. Inicialmente, o auxílio de R$ 600 seria pago por três meses. Cada pagamento custa cerca de R$ 51 bilhões aos cofres públicos.

O anúncio da prorrogação ocorre após pressão do Congresso e apoio do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), que afirmou em suas redes sociais que a prorrogação do pagamento do auxílio emergencial é ajuda "urgente" e para "agora". (E.C.)

Deixe uma resposta

Comentários