Leicester decreta novo isolamento

Johnson anuncia ajuda financeira de US$ 6,15 bilhões
Johnson anuncia ajuda financeira de US$ 6,15 bilhões - FOTO: Divulgação
O Reino Unido impôs um confinamento rigoroso de pelo menos duas semanas à cidade de Leicester após detectar novos surtos de coronavírus, ofuscando as tentativas do primeiro-ministro Boris Johnson de volta à normalidade. Lojas não essenciais e escolas foram fechadas. E a abertura de pubs e restaurantes determinada no Reino Unido não vale para a cidade localizada a 150 quilômetros de Londres.

O Reino Unido tem sido uma das nações mais atingidas pela pandemia, com mais de 54 mil mortes, embora as infecções tenham diminuído e muitas restrições tenham sido flexibilizadas a partir de sábado passado para revitalizar a economia.

Boris Johnson disse que o país não pode continuar sendo "prisioneiro desta crise" e traçou planos para impulsionar a economia britânica, devastada pelo coronavírus. "Se a crise nos ensinou uma coisa, é que este país precisa estar pronto para o que está por vir, e precisamos ser capazes de avançar com níveis de energia e velocidade que não precisamos há gerações", disse.

No entanto, em Leicester, a flexibilização foi revertida depois que os números mostraram que a taxa de infecção nos últimos sete dias era três vezes maior que a próxima pior cidade. Leicester, que tem cerca de 330 mil habitantes, respondeu por 10% dos casos positivos na Inglaterra na semana passada, informou o governo.

"Agradeço ao povo de Leicester por sua tolerância", disse Johnson no discurso. "Sempre disse que haveria crises locais e que lidaríamos com elas localmente, e é isso que estamos fazendo em Leicester e em outros lugares", completou.

Moradores disseram que as pessoas estavam desprezando o distanciamento social e outras medidas desde que o governo começou a flexibilizar as regras duas semanas atrás. "Se as pessoas ouvissem e ficassem em casa não estaríamos nessa situação", disse Bob Sharma, gerente de um banco.

O corretor Arun Mortala afirmou que as pessoas não usavam máscaras e nem mesmo mantinham distância quando voltaram às ruas "Eu esperava que isso acontecesse", disse ele.

Economia

Boris Johnson afirmou ontem que vai apresentar um plano de investimento de 5 bilhões de libras esterlinas (US$ 6,15 bilhões) com o objetivo de impulsionar a economia. Ele chamou o plano de New Deal, um eco deliberado do programa de estímulo do ex-presidente dos EUA, Franklin Roosevelt, da década de 1930.

"Parece um New Deal", disse Johnson, "é assim que deve soar e ser, porque é isso que os tempos exigem", afirmou. "Estou consciente de como tudo isso parece uma quantidade prodigiosa de intervenção do governo", disse. Em um aceno aos eleitores conservadores tradicionais, ele acrescentou: "Eu não sou comunista. Também acredito que é função do governo criar as condições para o livre mercado". (E.C.)

Deixe uma resposta

Comentários