Aumenta a procura por cursos profissionalizantes on-line

Os cursos on-line estão cada vez mais sendo procurados durante a pandemia do coronavírus (Covid-19), tanto para as pessoas que procuram retornar ao mercado de trabalho com uma nova qualificação, quanto para os empreendedores que pensam em soluções criativas para começar ou adaptar um negócio.

Neste sentido, a Prefeitura abriu as inscrições para 1,5 mil vagas em 55 cursos on-line gratuitos de capacitação da Pro Educar Brasil e do Emprega Mogi, que estão sendo oferecidas por meio da parceria entre a administração municipal e a empresa Fenícia Cursos, Treinamentos e Capacitações (veja quadro).

De acordo com a gestora dos cursos da Pro Educar Brasil, Fádua Ramez Rachid Sleiman, este é o momento das pessoas se interessarem em cursos preparatórios, para que, quando retornarem as atividades de trabalho em todos os setores, as pessoas estejam qualificadas para se candidatar a diversos empregos que podem surgir após a pandemia.

"Neste momento, todos precisam se preparar para o que pode vir. É o tempo de aprender e estamos vendo que as pessoas estão interessadas, registramos um aumento de 200% em procuras", explicou a dirigente.

Para Fádua, tanto o empreendedor quanto as pessoas que estão procurando emprego, precisam estar atentos às adaptações do mercado. "O empreendedor precisa ser criativo para continuar no mercado após a pandemia, o público vai estar bem diferente do que era antes e os empresários precisam ver isso", alertou.

A volta do comércio ainda está muito incerta. Segundo Fádua, os segmentos precisam retornar gradativamente para que não haja problemas de aglomerações e outras situações que podem acabar proliferando o vírus. No entanto, para os estabelecimentos que já estão funcionando, Fádua sugere que sejam reforçados todos os protocolos de segurança.

Comércio pressiona

O presidente da Associação Comercial de Mogi das Cruzes (ACMC), Marco Zatsuga, entregou na tarde de ontem um ofício ao prefeito Marcus Melo (PSDB) com o pedido para a liberação do funcionamento das lojas por um período inicial de quatro horas a partir da próxima semana.

"A expectativa é de que a cidade avance para a fase laranja e estamos na contagem regressiva para retomar algumas atividades econômicas, como a reabertura de escritórios e lojas comerciais. No início, terá de ser por um período menor de tempo, mas já será uma retomada", ponderou o presidente Zatsuga.

Na manhã de ontem, o presidente da ACMC se reuniu com o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Simei Baldani, e o diretor da Pasta, Luiz Pinheiro, para discutirem o protocolo que subsidiará a reabertura dos estabelecimentos comerciais.

"Além do horário reduzido, há outros cuidados que precisarão ser adotados, como controle no acesso de clientes, exigência do uso de máscara e do álcool em gel. Os comerciantes já estão atentos a isso e há uma preocupação de todos em atender os protocolos. O importante é retomar as atividades porque ninguém consegue mais segurar as portas fechadas", disse o presidente.

*Texto supervisionado pelo editor.

Deixe uma resposta

Comentários