Após um mês, unidade atendeu 182 pacientes

A diferença entre os meses de setembro e outubro é maior do que um ponto
A diferença entre os meses de setembro e outubro é maior do que um ponto - FOTO: Ney Sarmento/PMMC
O hospital de campanha em Mogi das Cruzes está completando um mês de funcionamento com 182 pacientes admitidos até o meio-dia de ontem. Deste total, 133 pessoas já tiveram alta, 15 foram transferidas por complicações ou piora do quadro clínico e 34 permanecem em tratamento.

"Os números são muito voláteis: somente nas últimas 24 horas, a unidade recebeu 13 pacientes e outros nove devem chegar até o final do dia (ontem). Isso sem contar as altas que sempre ocorrem no período da tarde", explicou a diretora de Rede Básica da Secretaria Municipal de Saúde, Rebeca Barufi, que coordena o posto.

Segundo ela, a equipe tem se empenhado para oferecer a melhor assistência possível, com atenção integral aos doentes em todas as suas necessidades. Outro cuidado é o suporte aos familiares, com contatos telefônicos periódicos para informar sobre o estado de saúde dos pacientes.

A rotina diária é a seguinte: pela manhã o médico que está de plantão faz o boletim diário dos pacientes, programação de tratamento e medicações prescritas para serem administradas ao longo do dia. À tarde, ele faz contato com os familiares, explica a rotina dos pacientes nas últimas 24 horas e sua evolução.

O hospital de campanha não funciona de portas aberta, mas é uma importante retaguarda para todos os hospitais da cidade. É uma extensão do Hospital Municipal, também com gerenciamento pela organização social Fundação do ABC.

O equipamento está montado estrategicamente na Avenida Cívica, ao lado do Ginásio Municipal Hugo Ramos, próximo ao Corpo de Bombeiros e à Base do Samu, com facilidade de acesso para todos os hospitais da cidade. No total, a unidade conta com 230 profissionais entre médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas e outros especialistas contratados ou remanejados de outras unidades de saúde.

Após o hospital ser desmontado, o que dependerá do comportamento do vírus na cidade, alguns itens serão utilizados em novos postos que estão sendo implantados na cidade, como a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Jundiapeba, o Complexo Integrado de Atenção à Saúde (Cias), no Rodeio, e a Maternidade Municipal, em Braz Cubas. Outros materiais serão direcionados às unidades de origem, de onde foram remanejados temporariamente.

Deixe uma resposta

Comentários