Donos de salões pedem ajustes

Com a expectativa para reabertura já nesta segunda-feira, donos de barbearia e salões de beleza discutiram, na manhã de ontem, junto ao Comitê Municipal Gestor de Retomada Gradativa das Atividades Econômicas, o protocolo de reabertura do setor. O encontro ocorreu na Câmara Municipal.

Uma das questões que pautou a reunião de ontem foi a utilização de equipamentos de segurança durante a realização de serviços das categorias. Os empresários questionaram a necessidade da troca de equipamentos como toucas e aventais após o atendimento de cada cliente, medida sugerida no protocolo criado pela Prefeitura. Segundo eles, será difícil a medida dar certo na prática, já que tratam-se de materias não descartáveis. A diretora da Vigilância Sanitária de Mogi das Cruzes, Paula Santos, afirmou que discutirá o tema junto ao departamento e responderá em breve os questionamentos realizados pelos empresários.

O Protocolo Sanitário para Mogi das Cruzes voltado ao setor prevê o uso de luvas no contato com os clientes, distância mínima de dois metros entre as estações de trabalho, uso obrigatório de touca pelos clientes, entre outros.

Dentre as determinações que previamente já fora definidas entre os empresários e o comitê, destaca-se o horário de funcionamento da categoria, estipulado inicialmente entre às 13 e 19 horas. A definição do período de funcionamento partiu dos próprios empresários, e deve ser acatada pelo Poder Público por meio do decreto que regulamentará o funcionamento da atividade quando ocorrer a liberação estadual.

O Protocolo Sanitário de Mogi das Cruzes, destinado ao segmento de barbearias e salões de beleza, foi feito com base no documento disponibilizado pelo governo do Estado de São Paulo, mas, de acordo com o vice-prefeito, Juliano Abe (MDB), presidente do Comitê Gestor, o documento possui algumas modificações, feitas para que os estabelecimentos se adequem à realidade local.

Esporte

No início da noite de terça-feira passada, o Comitê Gestor de Retomada Gradativa das Atividades Econômicas esteve com os proprietários de campos de futebol society do município, quando realizou o mesmo trabalho de discussão de protocolos, visando uma futura retomada segura da atividade. Segundo o prefeito Juliano Abe, presidente do comitê, os empresários relataram certa dificuldade técnica na formulação do protocolo de funcionamento. "Conversamos e explicamos que os protocolos nada mais são do que o detalhamento do que será feito pelo setor para a reabertura", afirmou o vice-prefeito, alegando ainda que, em breve, será oficializado as diretrizes de funcionamento desta atividade.

Hoje, ocorre na Câmara Municipal a reunião com o setor de bares e restaurantes. (F.A.)