Parques, estação de esgoto e avenida serão licitados em 2020

Quatro significativos empreendimentos contemplados no Programa Mogi Ecotietê terão licitações realizadas ainda neste ano. Com projetos adiantados e prestes a receber as licenças ambientais (veja mais ao lado), a construção dos dois parques, a criação do Corredor Nordeste e a ampliação da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), nesta sequência, serão licitados no segundo semestre deste ano.

Juntos, os projetos a serem licitados neste ano somam cerca de R$ 169 milhões e gerarão 250 empregos de forma direta no município. Para a construção dos parques, serão investidos cerca de
R$ 22,8 milhões; para a ampliação da ETE, cerca de
R$ 46 milhões; e para a criação do Corredor Nordeste, outros R$ 100 milhões.

A informação foi passada pelo secretário municipal de Planejamento e Urbanismo Claudio de Faria Rodrigues, um dos responsáveis pelo desenvolvimento e evolução do programa, que acarretará em grandes mudanças para a região leste do município, principalmente Cezar de Souza e Botujuru.

O titular da Pasta disse à reportagem que os processos licitatórios destes quatro empreendimentos ocorrerão individualmente, após a promulgação do financiamento pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que deve ocorrer nos próximos dias. "Assim que o presidente assinar o documento, a gente já começa a licitação. Tudo isso ocorrerá ainda neste ano", cravou o secretário. "O motivo pelo qual esses serviços terão prioridade no calendário de execução das obras do Programa Mogi Ecotietê está atrelado ao nível de avanço desses projetos, seja pelo planejamento para execução dos trabalhos ou pelas liberações ambientais já bem adiantadas", detalhou Claudio Rodrigues.

Um dos parques será construído na avenida Antonio de Almeida e, o outro, na avenida Francisco Rodrigues Filho. Já a nova via, que vem sendo chamada de Corredor Nordeste, será instalada entre as avenidas Dante Jordão Estopa e a Francisco Rodrigues Filho. Por fim, ao lado do parque Centenário, a ETE passará por ampliação.

O Senado aprovou, na tarde da última terça-feira, a contratação do financiamento internacional de
US$ 69 milhões (valor total do projeto, que será dividido em vários eixos) entre o município e a Corporação Andina de Fomento (CAF), para a execução das obras do Programa Mogi Ecotietê.

O projeto

O programa é um conjunto de ações nas áreas de mobilidade urbana, meio ambiente e saneamento, com objetivo de modernizar toda a região leste do município, que compreende ao distrito de Cezar de Souza e Botujuru. Essa região vem se mostrando, mesmo antes da divulgação do Programa Mogi Ecotietê, em 2018, a mais promissora e com possibilidade de avanço na cidade.