Licitação para limpeza do rio Jundiaí ocorre mês que vem

O Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE) confirmou que, no próximo mês, começará os processos de licitação para definir a empresa que ficará responsável pelos serviços e obras de desassoreamento do rio Jundiaí, em Mogi das Cruzes, ao custo de R$ 4,4 milhões.

O processo inicia o planejamento feito pelo governo do Estado em diminuir os casos de enchente em Mogi e região, que foi amplamente solicitado pelos prefeitos por meio de diversos encontros do Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) com a Secretaria de Estado de Infraestrutura e Meio Ambiente, ao longo do ano passado, mas que está sendo pensado desde 2018, portanto com dois anos de atraso.

De acordo com o DAEE, serão quatro projetos (rios e córregos) no total que devem dar início ao desassoreamento após a licitação. As propostas foram aprovadas em 2019 e tiveram contratos assinados com recursos do Fundo Estadual de Recursos Hídricos (Fehidro) e do DAEE. Para estes pontos, foram destinados um montante de R$ 9,1 milhões, que têm como objetivo limpar os rios Guaió (Suzano), Jaguari (Suzano e Itaquaquecetuba), Jundiaí (Mogi das Cruzes) e no córrego Itaim (Poá).

Outros cinco projetos de obras também foram enviados pelo DAEE para habilitação e estão em fase de análise junto a Câmara Técnica do Fehidro - que teve seu calendário de reuniões alterado em virtude da pandemia de Covid-19. Para estas ações estão sendo contabilizados um investimento de R$ 29,9 milhões, beneficiando Mogi, Biritiba Mirim, Suzano, que possuem trechos do rio Jundiaí, córrego Caputera, rio Tietê ou o Taiaçupeba Mirim, este último está em Suzano, mas também passa pelo município de
Ribeirão Pires.

As cidades da região estavam desde o ano passado solicitando ao Estado os serviços de desassoreamento em diversos rios e córregos em razão a problemas de enchentes que muitos rios e córregos apresentam durante fortes chuvas.

No começo do ano passado, o secretário de Estado de Infraestrutura e Meio Ambiente, Marcos Penido, confirmou que uma das prioridades da Pasta era o desassoreamento com o objetivo de minimizar os problemas de alagamento. Após esse pronunciamento, diversos encontros foram realizados para mapear os pontos de cada cidade, no entanto, somente no começo deste ano, é que o governo destinou o montante para as intervenções nos rios e córregos, que serão feitos por meio de licitações realizadas pelo DAEE.

*Texto supervisionado pelo editor.

RIOS E CóRREGOS DO ALTO TIETê QUE SERãO CONTEMPLADOS PELAS LICITAçõES EM AGOSTO

Serviços de Limpeza e Desassoreamento do Rio Guaió, nos municípios de Suzano e Poá - R$2,3 milhões;

Limpeza e Desassoreamento do Rio Jundiaí, em Mogi das Cruzes e divisa de Suzano – R$ 4,4 milhões;

Limpeza e Desassoreamento do Rio Jaguari, em Suzano e Itaquaquecetuba – R$ 1,2 milhão

Limpeza e Desassoreamento do Córrego Itaim, em Poá - R$ 1,2 milhão

PROJETOS QUE ESTãO EM FASE DE ANáLISE JUNTO A CâMARA TéCNICA DO FEHIDRO E DO DAEE

Limpeza, Desassoreamento e Desobstrução do chamado Lote 4,5 do Rio Tietê, na divisa de Mogi das Cruzes e Biritiba Mirim – R$ 11,8 milhões 

Limpeza, Desassoreamento e Desobstrução do chamado Lote 5 do Rio Tietê, em Biritiba Mirim – R$ 7,6 milhões

Limpeza, Desassoreamento e Desobstrução do Córrego Capela, em Biritiba Mirim – R$ 1,2 milhão

Limpeza, Desassoreamento e Desobstrução do Rio Taiaçupeba Mirim, em Suzano, Ribeirão Pires e Mogi das Cruzes – R$ 9,3 milhões

Deixe uma resposta

Comentários