Bares, restaurantes e salões de beleza devem voltar na 2ª

O governo do Estado de São Paulo anuncia hoje o novo faseamento do Plano São Paulo de Retomada Econômica e, aos municípios do Alto Tietê, os últimos índices apontaram para a evolução para a fase amarela (terceira fase) do cronograma estadual. Com possível nova classificação, bares, restaurantes e salões de beleza estarão liberados para retomar as atividades, com restrições.

Na noite de quarta-feira, o prefeito Bruno Covas adiantou que a capital paulista deverá liberar esses novos segmentos a partir de segunda-feira, e a expectativa é de que Mogi das Cruzes e região não fiquem para trás.

A chance é alta para a transição para a próxima fase. Isso porque, há uma semana, foi apresentado o detalhamento dos indicadores do Plano São Paulo, no qual os municípios do Alto Tietê apresentaram evolução e podem ser reclassificados hoje.

Segundo os dados apresentados pelo governador João Doria (PSDB) e pelo secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholli, a maioria dos indicadores analisados naquela oportunidade já faria com que as cidades da região recebessem a autorização para avançar de fase.

O prefeito de Mogi das Cruzes, Marcus Melo (PSDB) disse ontem que acredita que a região irá acompanhar a capital de São Paulo nesta nova avaliação, sendo reclassificada na fase amarela. Segundo o prefeito, os número de casos, internações e óbitos - três fundamentais pilares analisados semanalmente pelo governo do Estado - são favoráveis no Alto Tietê. "Mesmo com essa alteração, é importante lembrar que ainda estamos em quarentena e que é preciso da colaboração de todos para uma retomada segura", ressaltou Melo.

O prefeito ainda informou que alguns comerciantes estão desrespeitando as medidas impostas, sendo que foram notificados e autuados (veja mais ainda nesta página). "Se fala na segunda onda mas não saímos da primeira. A gente tem cidades no interior que estavam na fase laranja e tiveram que voltar para a vermelhar", alertou.

Bons indicativos

Até a última quarta-feira, o Alto Tietê contava com 470 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para tratamento da Covid-19, cerca de 50% de acréscimo desde o início da pandemia. De clínica médica, eram mais 500 leitos disponíveis. A capacidade atual de UTI proporciona uma média de 15,7 leitos a cada 100 mil habitantes. Já a taxa de ocupação nesta semana foi de 53,9%. Quanto aos respiradores, foram destinados cerca de 70 equipamentos para cinco municípios da região. A maioria dos equipamentos já está instalada.

Na semana passada, o governo do Estado afirmou que três destes indicadores analisados na semana passada pelo governo do Estado (ocupação dos leitos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI), variação de internações e variação de óbitos) possuíam as condições esperadas pelo governo para avançar para a fase 3 do Plano São Paulo.