Jundiapeba e Vila Oliveira lideram casos de Covid-19

A Prefeitura de Mogi das Cruzes fez uma nova localização dos casos positivos de Covid-19 confirmados na cidade do início da pandemia até o dia 25 de junho. O mapeamento mostra que há ocorrências em praticamente todo o território, mas algumas regiões ganharam destaque por maiores incidências registradas de acordo com os endereços de residência declarados pelos pacientes.

Jundiapeba e Vila Oliveira lideram em números de ocorrências, com 87 e 85 casos confirmados, respectivamente. Outros sete bairros registraram 50 casos ou mais: Nova Jundiapeba (82), Cezar de Souza (66), Mogi Moderno (64), Nova Mogilar (60), Centro (60), Socorro (53) e Alto Ipiranga (50). A distribuição aponta a localização residencial dos pacientes que já adoeceram, mas não é possível saber onde ocorreram os contágios.

"Desde o início da pandemia, estamos trabalhando da forma mais transparente possível para que a população tenha acesso às informações sobre o novo coronavírus em nossa cidade", afirma o prefeito Marcus Melo.

Do início da pandemia até o 25 de junho, Mogi das Cruzes registrou .8.827 notificações suspeitas do novo coronavírus, das quais 1.921 casos foram confirmados e 1.248 aguardavam resultados de exames. Os demais foram descartados, negativos ou dispensados de coleta. Entre os casos confirmados, 1.253 pacientes já receberam alta ou foram curados e, infelizmente, 150 foram a óbito. Os demais seguem em tratamento ou cumprindo o período de quarentena obrigatória em casa.

"Todos os casos são monitorados pela Vigilância Epidemiológica. Nossos técnicos atualizam informações diárias sobre os pacientes internados. Há também uma equipe que realiza ligações para as pessoas que estão cumprindo a quarentena em casa com objetivo de observar eventuais sintomas e orientar da melhor forma possível", explica o secretário municipal de Saúde, Henrique Naufel.

O distanciamento social continua sendo a melhor forma de prevenir o contágio e, para quem precisar sair, o uso de máscaras continua obrigatória. A utilização de máscaras é recomendada pelo Ministério da Saúde e pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O acessório deve cobrir o nariz e a boca e deve ser trocados a cada duas horas ou de acordo com orientações do fabricante. Outros cuidados que devem ser adotados na rotina de toda população são a lavagem periódica das mãos e o uso de álcool gel. Em espaços públicos, é importante manter uma distância segura das outras pessoas.