Deputados podem votar hoje o adiamento das eleições

Marcio Alvino:
Marcio Alvino: "Defendo o direito de todos à educação de qualidade" - FOTO: Mogi News/Arquivo
Com possibilidade de ser votada ainda hoje na Câmara dos Deputados, a proposta de adiamento das eleições municipais em razão da pandemia de coronavírus (Covid-19), aprovada na semana passada pelo Senado, divide opiniões de parlamentares federais com base política no Alto Tietê. O presidente do Legislativo nacional, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu anteontem, após encontro com o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), que a proposta seja pautada e votada o quanto antes. Mas, enquanto parte dos parlamentares defende a manutenção do calendário eleitoral, o restante entende que a mudança na data é uma alternativa viável durante a pandemia.

Os deputados Marcio Alvino e Katia Sastre, ambos do PL, entendem que as eleições poderiam ocorrer em outubro, se valendo de argumentos distintos. Enquanto o parlamentar Alvino relaciona a manutenção do calendário eleitoral com o anúncio do governo do Estado de São Paulo do plano de retomada consciente à rotina cotidiana, com o retorno, inclusive das aulas em setembro, a parlamentar Sastre discorda do argumento de que a alteração é para dar tempo para maior controle da pandemia.

"É necessário que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) estabeleça regras para assegurar o bem-estar das pessoas durante a votação, como por exemplo o aumento do horário, o uso obrigatório de máscaras e de álcool em gel", afirmou o deputado, dizendo ainda que seguirá a orientação do partido.

"O diretor da Organização Mundial da Saúde (OMS) disse que o pior da pandemia ainda está por vir. Quando será esse pior? Ninguém sabe", respondeu a deputada Sastre.

Do outro lado deste cenário, os deputados Roberto de Lucena (Podemos) e Marco Bertaiolli (PSD) acreditam que a mudança na data é uma alternativa viável. Mesmo assim, para Bertaiolli, este é o momento de foco nas ações e medidas de combate à Covid-19, a retomada da economia, a geração de emprego e renda para as famílias que estão passando por dificuldades financeiras. "A eleição não é, no meio dessa situação toda, a prioridade que deve tomar conta de nossas discussões, mas acredito que a mudança na data é uma alternativa viável", completou.

Se apresentando contra a prorrogação de mandatos, de Lucena afirmou que irá votar a favor do adiamento das eleições.