Cem dias

O Congresso Nacional vota o adiamento das eleições municipais. O Senado aprovou a prorrogação do primeiro turno para 15 de novembro e do segundo turno para o dia 29 de novembro. Tudo em razão da pandemia e seus efeitos. Com a retomada das atividades econômicas, ainda que de forma tímida e lenta, caminhamos para o retorno da normalidade.

O poder Judiciário no Estado de São Paulo, tanto para a Justiça comum como a Justiça do Trabalho, ainda não anunciou quando irá retomar o atendimento presencial, assim como a Justiça Eleitoral. O Estado anunciou o retorno das aulas presenciais para o dia 8 de setembro. Milhares de empregos estão sendo dizimados, pois há cem dias estamos em quarentena.

Mesmo com o grave risco de aumento de contágio e suas consequências, a reabertura total e imediata de todas as atividades é indispensável para sobrevivência do país. E mesmo que ela ocorra, milhares de brasileiros continuarão em quarentena voluntária.

Mesmo com a total reabertura, não haverá o retorno de todos à normalidade. Milhares de trabalhadores que foram para o trabalho em casa não retornarão mais, continuarão em home office. Na prática, a quarentena, já acabou, existem milhões de novos desempregados e quanto mais se retardar a reabertura, maior será o desastre econômico. O governo já teve cem dias para reorganizar o sistema de saúde e enfrentar a pandemia, a sociedade não pode continuar sendo sacrificada pela ingerência do Estado. Não há testes para Covid-19, não se sabe qual o real número de infectados.

Certamente as mortes chegarão às centenas de milhares, seja por falta de diagnóstico, seja por falta de tratamento, mas manter a quarentena tal qual se dá hoje não salva vidas nem a economia. Estamos assistindo a demissões em massa, na cadeia industrial de autopeças, na área educacional, em bares, restaurantes e hotéis e em diversos setores. Não se sabe quantos empregos formais serão perdidos, estima-se que o número de desempregados chegue aos 25 milhões. Não dá para esperar mais, precisamos retomar todas as atividades já.