Ser jovem

Juventude longe ser uma fase da vida, é um estado de espírito! Um desdobramento da vontade de manter a saúde no que ela tem de mais complexo e abrangente, para poder participar, em tudo, a plena potencialidade, com a vantagem da experiência. Ao nos darmos à saúde esta mensagem de pureza austera, guardada em nossos mais caros santuários, comunga-se solenemente, em cada dia, com o que existe do mais robusto andar. Do latejar, isento de qualquer aceno crepuscular!

Não é por se ter vivido um certo número de anos que se envelhece: envelhecemos porque abandonamos nosso ideal! Nosso inconformismo, com o que bate de frente com nossa maneira sadia de pensar, ao se deixar levar pela enxurrada de acontecimentos! Deixamos de nos encantar com aquela propensão à ousadia que nutre de imaginação e perspectivas mil, o futuro colocado ao alcance da mão e, que na maior parte das vezes, sem qualquer surpresa de monta, teima em fazer de tudo, uma ilusão!

Verdade: pela idade ficamos mais sensíveis às mudanças climáticas. Verrugas e calosidades contrapondo-se à uniformidade da pele. As preocupações, os temores, as dúvidas e os desesperos são os inimigos que lentamente nos inclinam para a terra e nos tornam pó antes do toque final da passagem.

Jovem é aquele que se admira, se maravilha e indaga, como a criança curiosa, insaciável no indagar: E depois? Que desafia os acontecimentos e jamais se divorcia da alegria no jogo da vida. Vê nos petizes, companheiros de se apegar, cuja espontaneidade, autenticidade, será sempre fonte de ricos ensinamentos.

Seremos jovens enquanto nos conservarmos receptivos ao que é belo, intrigante e positivo. Às mensagens que mentes privilegiadas nos delegaram pela via sagrada de escritos e de exemplos. Das frases que ecoam como um alerta em nossa consciência, para que jamais nos desfaçamos de nossa esperança de nos sentirmos partícipes de tudo o que acontece. Afinal somos ou não somos, permanentemente parte, da aldeia global de que nos fala Marshall McLuhan, o mago da comunicação?