Lockdowns forçam redução do PIB em 8,7% neste ano

A contração econômica da zona do euro será mais profunda do que se imaginava este ano, uma vez que as medidas de lockdown tomadas para conter a disseminação do coronavírus estão sendo revertidas em ritmo mais gradual do que o previsto, segundo avaliação da Comissão Europeia, braço executivo da União Europeia.

No último de quatro relatórios publicados anualmente, a Comissão previu ontem que o Produto Interno Bruto (PIB) dos 19 países que formam a zona do euro sofrerá um tombo de 8,7% em 2020, maior do que a queda de 7,7% estimada três meses atrás.

No documento, a comissão destacou as crescentes divergências entre os países da zona do euro e recomendou esforços conjuntos para limitar o impacto na região como um todo.

No caso da Itália, por exemplo, a previsão de retração do PIB este ano foi de 9,5% para 11,2%. Já para a Alemanha, a comissão melhorou sua projeção de 2020 ligeiramente, de queda de 6,5% para redução de 6,3%.

Desemprego

A Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico estima que a taxa de desemprego será de 10% em 2020, podendo atingir 12% caso haja uma segunda onda de Covid-19. Só no 4º trimestre deste ano, o "clube dos países ricos" deve registrar desemprego de 9,4%, superando todos os picos registrados durante a crise financeira de 2008. (E.C.)

Deixe uma resposta

Comentários