Para Bolsonaro, ministro é 'voltado para o diálogo'

Na cerimônia de posse do novo ministro da Educação, Milton Ribeiro, realizada na tarde de ontem, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que a presença de um gestor "voltado para o diálogo" trará entendimento ao setor. Segundo Bolsonaro, Ribeiro deverá ter uma transição tranquila ao assumir a nova função, e poderá trocar pontualmente auxiliares do MEC para ter ao seu lado pessoas com "o mesmo espírito que ele". Desde o início do governo, a Pasta é alvo de disputas e foco de divergências entre técnicos, olavistas e militares.

"Não é fácil a vida do professor nos dias atuais. Tentaram consertar, mas na verdade se equivocaram. Existe hoje em dia uma gama enorme de excelentes e excepcionais professores em todos os níveis no Brasil. E, com toda a certeza, com a chegada de um ministro voltado para o diálogo, usando a sua experiência e querendo o melhor para as crianças, esse entendimento se fará presente", disse Bolsonaro, que participou da cerimônia de posse por videoconferência.

Bolsonaro enfatizou diversas vezes que Ribeiro terá um grande desafio pela frente, além de dizer que o MEC é "grande, complexo, com autonomia e setores, dependendo muitas vezes de conselhos para tomar decisões". O presidente também falou sobre a importância da Educação, que passa pela terceira vez em menos de dois anos por uma troca de comando.

"Não é fácil a vida do ministro (da Educação). E dele, em grande parte, depende o futuro da nossa nação. Já disse ao (ministro) Paulo Guedes que o que liberta um país, o que liberta um homem não são programas sociais, são conhecimento (sic). E esse conhecimento vem em grande parte do Ministério da Educação", declarou o presidente.

Em seguida, Bolsonaro lembrou a saída do ex-ministro Abraham Weintraub e disse não ter dúvidas que a transição será tranquila, mas que Ribeiro deve mudar parte da equipe. "Você (Ribeiro) terá como, pontualmente, colocar gente ao teu lado com o mesmo espírito seu. Se bem que pode ter certeza que grande parte do ministério pensa como você", declarou.