Câmara aprova convênio de R$ 395 mil para cicloturismo

Um convênio no valor de R$ 395.930,91 entre a Prefeitura de Mogi das Cruzes e o governo do Estado para a execução de projeto de cicloturismo no município foi aprovado pela Câmara Municipal na tarde de ontem.

O projeto cadastrado prevê a implantação de placas de sinalização e também de lixeiras de alvenaria nas ciclorrotas do município. O objetivo é melhorar a visualização e a própria divulgação dessas rotas, além de solucionar os problemas com descarte irregular de lixo em estradas vicinais utilizadas por ciclistas. A sinalização visa ainda beneficiar pedestres, moradores do entorno e propriedades rurais que atendem turistas.

Também faz parte da proposta a construção de uma pista de pump track, em local ainda a ser definido, em diálogo e parceria com os coletivos de ciclistas na cidade. O projeto original previa a construção de duas pistas, sendo uma no parque Professora Botyra Camorim Gatti e outra no parque Leon Feffer, porém, com o contingenciamento por parte do governo do Estado do valor máximo a ser destinado para cada município, a cidade terá de adequar as intervenções previstas. O valor inicialmente pleiteado pelo município era de R$ 600 mil.

Segundo a Prefeitura, Mogi recebia, em média, antes da pandemia, 45 mil visitantes por mês, considerando sábados, domingos e feriados. Pelo fato de ter mais de 60% de seu território em áreas de preservação ambiental, a cidade conta com mais de 250 quilômetros de trilhas e ciclorrotas, muitas delas utilizadas pelos visitantes amantes do ecoturismo e turismo de aventura, bem como a população em geral. Muitas dessas trilhas são utilizadas por profissionais do esporte para treinamentos e preparo para a participação de competições.

A Câmara Municipal também aprovou a destinação de R$ 37,5 mil para custeio de despesas com a realização das oficinas Programas Núcleos Criativos, Laboratório das Artes Mogianas e Oficinas Culturais Variadas. Segundo o documento que solicita a transferência de recursos municipais, há a necessidade de contratação de profissionais tanto como pessoa física quanto de pessoa jurídica, para a execução destas oficinas.

Deixe uma resposta

Comentários