Estado desmente sobre prazo para entrega de leitos

Apensar da vinda dos equipamentos, leitos não serão abertos imediatamente
Apensar da vinda dos equipamentos, leitos não serão abertos imediatamente - FOTO: Daniel Carvalho/Mogi News
A Secretaria de Estado da Saúde informou à reportagem que não concedeu prazo para a entrega dos 60 leitos para tratamento de pacientes com coronavírus no Hospital Doutor Arnaldo Pezzuti localizado no distrito de Jundiapeba.

Nos últimos dias, os prefeitos do Alto Tietê fizeram pressão ao Estado e esperavam a disponibilização dos leitos até o final do mês passado.

Na edição de ontem, o Grupo Mogi News trouxe a informação de que o Ministério Público Federal (MPF) deverá notificar a Secretaria de Estado da Saúde sobre o descumprimento do prazo. O Departamento Regional de Saúde (DRS) da Grande São Paulo, porém, afirmou ontem que não recebeu documento do MPF e que está à disposição para esclarecimentos. A assessoria do governo do Estado ainda informou que a data foi estipulada pelos deputados da região, sem citar nomes, e não pela Pasta estadual.

O Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) tentou entrar em contato com a Secretaria do Estado da Saúde para confirmar se a data, até então estabelecida para o último dia 30, seria cumprida. Os esforços, porém, não resultaram em um posicionamento concreto do Estado, que agora sinaliza que não assumiu compromisso com a região.

A Secretaria de Estado da Saúde disse estar monitorando o cenário da Covid-19 às necessidades de ampliação de leitos e que, juntos, os serviços públicos de Saúde do Alto Tietê contam com 411 leitos SUS voltados a doença. "Se necessário mais leitos serão ativados em serviços como o Centro Especializado em Reabilitação Arnaldo Pezzuti Cavalcanti", alegou.

O prefeito Marcus Melo (PSDB) ressaltou que a disponibilização dos leitos para a unidade mogiana está a cargo do governo do Estado e que não possui informações sobre as datas. "A cidade está aberta para receber os leitos. A ampliação é importante, principalmente para ampliar o atendimento, mas também para que Mogi avance para a fase amarela do Plano São Paulo de Retomada Econômica".