Aulas virtuais comprometem desempenho na prova do Enem

Para Ingrid, as aulas presenciais
são essenciais no aprendizado
Para Ingrid, as aulas presenciais são essenciais no aprendizado - FOTO: Fotos: Arquivo Pessoal
Desde o início da quarentena para a prevenção do novo coronavírus, no final do mês de março, as escolas tiveram as aulas presenciais interrompidas. De uma forma geral, todos os alunos podem se sentir prejudicados pela mudança, mas os problemas se tornam ainda mais graves para aqueles que estão se preparando para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano.

Ontem, o Ministério da Educação anunciou que a prova será aplicada no começo de 2021 e não mais em novembro deste ano, como era previsto (leia mais na página 8). Mesmo assim, o longo período sem aulas presenciais deixará os candidatos sem a devida preparação.

A arujaense Ingrid Vitória Godoi, de 17 anos, está cursando o 3º ano do Ensino Médio e desde novembro do ano passado está focada no exame. "Mesmo estudando pelas plataformas on-line, as aulas presenciais são essenciais para a preparação do Enem. Um dos motivos é o fato de que nem todos podem ter acesso à internet e aos cursinhos preparatórios para a prova, e isso pode prejudicá-los bastante", pontuou a estudante.

Já as dificuldades de Gabriel dos Santos Ferreira, de 17 anos, de Itaquaquecetuba, estão relacionadas à ausência de um planejamento, que era feito nas aulas presenciais. "A falta do contato presencial com os professores acarreta na falta de um caminho para estudar. Muitos alunos ficam perdidos", explicou.

Para a professora de Língua Portuguesa e Literatura, Denise Oliveira de Sousa, que leciona na Escola Estadual Professora Maria Isabel Neves Bastos, em Arujá, grande parte dos alunos será prejudicada no Enem. "Todos precisam de muito mais esforço, pois precisam lidar com a pandemia, as dificuldades de acesso e a falta de habilidades tecnológicas. Eles não estavam preparados para serem jogados às plataformas digitais", lamentou.

O professor de História e Filosofia, Renato Lemes Júnior, ressalta que além das dificuldades práticas os alunos em preparação para os vestibulares tendem aos impasses emocionais. "A questão emocional tem muita influência no aprendizado dos alunos, por isto eles merecem muita atenção", explicou. Para impulsionar os estudos, Lemes indicou que os professores utilizem mídias diversificadas, como podcasts e demais modelos digitais.

*Texto supervisionado pelo editor.

Deixe uma resposta

Comentários