Número de usuários aumenta 16% nos ônibus municipais

A retomada econômica em Mogi das Cruzes, iniciada exatamente há uma mês quando o município, junto com as demais cidades da região passaram da fase máxima de restrição, a vermelha, para a laranja, de retorno gradual e controlado, refletiu no aumento da quantidade de passageiros dos ônibus municipais.

De acordo com a Prefeitura, antes da retomada comercial que o ocorreu no dia 12 de junho, Dia dos Namorados, eram transportados cerca de 47 mil passageiros por dia, já durante a pandemia de coronavírus (Covid-19). No dia 10 de junho, por exemplo, foram transportados 47.203 pessoas, enquanto na terça-feira passada, após quase um mês de flexibilização, a quantidade subiu para 55.077.

Percentualmente, a diferença entre os números de passageiros transportados nos ônibus municipais é de 16% a mais com a reabertura do comércio varejista. Um dos motivos deste aumento pode estar relacionado à migração frequente de moradores dos bairros para as regiões centrais de Mogi, para a compra de roupas e demais mercadorias.

Além disso, o Executivo municipal explicou, também, que no mês de maio, quando as lojas ainda estavam fechadas em sua totalidade para o cumprimento da quarentena, 993.653 pessoas foram transportadas nos ônibus municipais. Já no mês seguinte, em junho, a quantidade aumentou para 1.203.266.

Em Itaquá, o número passou de 13 mil passageiros transportados diariamente antes da retomada parcial econômica para 24 mil após a flexibilização. No entanto, mesmo com este crescimento, a Prefeitura pontuou que o fluxo normal é de 50 mil passageiros por dia, como ocorria antes da pandemia.

O mesmo afirmou a Prefeitura de Suzano, dizendo que com a retomada gradual das atividades econômicas já foi notada um aumento na quantidade de passageiros, contudo, essa elevação ainda está abaixo de 50%. No início das medidas de distanciamento social pela pandemia, foi observada uma redução do número de passageiros, chegando ao nível de 25%, apenas um quarto da demanda normal do período.

Já as linhas intermunicipais, são monitoradas diariamente por faixa horária, em pontos estratégicos por onde circulam os ônibus. De acordo com a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU), a oferta chega a 100% da frota em algumas linhas nos horários de pico, mesmo com a queda de 62% na demanda de passageiros verificada na última semana, em comparação com antes da pandemia.