Alto Tietê recebe segunda parcela do socorro da União

Municípios poderão usar a verba federal para a recomposição dos orçamentos
Municípios poderão usar a verba federal para a recomposição dos orçamentos - FOTO: Ney Sarmento/PMMC
As cidades do Alto Tietê receberam ontem a segunda parcela do socorro a Estados e municípios para o enfrentamento ao coronavírus (Covid-19) e recomposição dos orçamentos.

Na somatória dos montantes, a região recebeu ontem R$ 46.222.356,03 como segunda parcela do montante total de R$ 184.864.312,11 que terá à disposição nos próximos meses. O montante se soma aos, aproximadamente, R$ 46 milhões depositados no mês passado pela União, totalizando aproximadamente R$ 92 milhões já contraídos. Ainda faltam duas parcelas para serem depositadas aos municípios, com previsão de chegar aos cofres das cidades em 12 de agosto e 11 de setembro.

Os valores pouco se alteraram do que repassado na primeira parcela, concedida em 9 de junho. Mogi das Cruzes, que ficará com a maior parte do montante federal (R$ 49.867.873,35), recebeu ontem R$ 12.490.131,50. Próximo aos valores que devem ser destinados aos cofres mogianos, Itaquaquecetuba recebeu R$ 10.388.440,42 do total de R$ 41.476.699,51 e Suzano, R$ 8.338.212,35 (do total de R$ 33.290.995,96).

Completando o G5 do Alto Tietê - grupo das cidades mais populosas da região - Ferraz de Vasconcelos recebeu ontem R$ 5.388.158,72 (de R$ 21.729.964,79) e Poá, que recebeu R$ 3.290.382,98 (de R$ 13.137.123,60).

O socorro a Estados e municípios foi marcado por alterações. Primeiro, a Câmara dos Deputados votou a proposta e foi criticada pelo governo federal por não determinar um valor fixo para os repasses. No Senado, foi estabelecido o valor de R$ 60 bilhões.

Durante as negociações, o governo sinalizou que algumas categorias de servidores poderiam ter reajustes. Com essa sinalização positiva, senadores aprovaram liberando algumas áreas para continuar podendo conceder reajustes aos funcionários. Novamente na Câmara, o projeto ficou ainda mais flexível e voltou a receber críticas da equipe econômica do governo, que indicou vetos ao presidente. Seguindo orientações, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) vetou reajustes a funcionários públicos até o fim de 2021.

 

TABELA

Município Segunda parcela Total a receber

Arujá R$ 2.491.228,82 R$ 10.046.904,19
Biritiba Mirim R$ 913.223,31 R$ 3.646.118,88
Ferraz de Vasconcelos R$ 5.388.158,72 R$ 21.729.964,79
Guararema R$ 834.782,14 R$ 3.332.936,09
Itaquaquecetuba R$ 10.388.440,42 R$ 41.476.699,51
Mogi das Cruzes R$ 12.490.144,01 R$ 49.867.873,35
Poá R$ 3.290.382,98 R$ 13.137.123,60
Salesópolis R$ 480.144,01 R$ 1.917.014,28
Santa Isabel R$ 1.607,651,78 R$ 6.418.681,46
Suzano R$ 8.338.212,35 R$ 33.290.995,96

Total RS 46.222356,03 R$ 184.864.312,11
*Primeira parcela paga em 9 de junho

Deixe uma resposta

Comentários