Universidades analisam permissão de aulas presenciais

As instituições de ensino superior particulares da região começaram a analisar a permissão do governo de São Paulo sobre a retomada das aulas práticas de maneira presencial. O Estado anunciou na tarde de anteontem que as aulas práticas e laboratoriais de graduação e das escolas técnicas estão autorizadas para ao 2° semestre deste ano.

A liberação vale somente para as cidades que se mantiverem na fase amarela do Plano São Paulo durante 14 dias consecutivos. A medida também vale para o estágio curricular obrigatório de saúde e para a educação complementar, que consiste nos cursos livres, como idiomas, informática e artes.

A Faculdade Piaget, localizada em Suzano, afirmou ontem que irá analisar o desenvolvimento dos dados nos próximos 14 dias, visto que a região entrou na fase amarela do Plano São Paulo apenas na segunda-feira passada. "Este período de análise se faz necessário para nortear o planejamento, estabelecer prazos, entre outras informações relacionadas à retomada das aulas", acrescentou.

Por sua vez, o Centro Universitário Braz Cubas (UBC), em Mogi das Cruzes, esclareceu que segue estudando e monitorando as atualizações dos protocolos e orientações do Plano São Paulo, além de acompanhar ações de retomada de diversas universidades. Desta forma, a unidade acredita atuar com segurança e assegurar a saúde de seus alunos, docentes e colaboradores para a volta das atividades presenciais.

Seguindo o mesmo planejamento, a Universidade de Mogi das Cruzes (UMC) contou que espera as próximas determinações do governo estadual para confirmar o retorno de atividades presenciais. Além disso, a universidade se comprometeu em divulgar detalhes sobre a retomada no decorrer desta semana. O Centro Paula Souza, apesar de contatado, não respondeu aos questionamento até o final desta edição.

Deixe uma resposta

Comentários