Estado deve manter restrição de horário

Comitê reivindica ao Estado reavaliação do teto de atendimento até as 17 horas
Comitê reivindica ao Estado reavaliação do teto de atendimento até as 17 horas - FOTO: Mariana Acioli
Mesmo com a solicitação do Comitê Gestor da Retomada Gradativa de Mogi das Cruzes, ao que tudo indica, o governo do Estado não pretende ampliar o horário de funcionamento para consumo local em bares e restaurantes.

Questionada pela reportagem, a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico voltou a ressaltar que o Plano São Paulo é respaldado por critérios técnicos para permitir, de forma consciente e gradual, a retomada das atividades econômicas dos setores, reforçando que o horário limitado de funcionamento, autorizado na fase amarela, foi determinado pelo Centro de Contingência para resguardar a saúde da população.

De acordo com as regras do programa, a mudança de fase de uma região, que a habilita para aumentar o horário de funcionamento, se dá apenas após 14 dias de manutenção em um estágio. Assim, mesmo que os índices de ocupação de leitos e de número de casos e mortes por Covid-19 estejam estabilizadas, o governo não pretende promover nenhuma alteração durante a coletiva programada para hoje, pois a região entrou na fase amarela na segunda-feira passada.

Vale destacar que, segundo o portal do Estado, os índices de ocupação de leitos de UTI Covid estavam ontem em 65,2% da capacidade, os de enfermaria em 55,7% e a proporção de leitos por 100 mil habitantes era de 15,5.

"O Estado dialoga com as prefeituras para que sigam as normas visando a retomada segura da economia. Prefeitos que desrespeitam o Plano SP ficam sujeitos a ações do Ministério Público", explicou em nota.

Além disso, a Pasta reforçou a importância do setor de alimentação, desde que não haja consumo no estabelecimento após às 17 horas. "A comercialização de alimentos, para retirada no local ou para entrega via delivery, é autorizada pelo plano", completou.

Em discordância com a restrição do horário de funcionamento de bares, restaurantes e similares, o Comitê Gestor encaminhou na última quarta-feira a solicitação de reavaliação da limitação de funcionamento até as 17 horas ao governo do Estado.

Segundo o grupo, além do município possuir indicadores recentes favoráveis relacionados à pandemia do coronavírus, a estrutura de fiscalização da administração municipal é suficiente para inibir possíveis aglomerações temidas pelo Executivo Estadual. "Temos condições de fiscalizar possíveis aglomerações no município, com o trabalho conjunto da Vigilância Sanitária, o Departamento de Posturas e a Guarda Municipal", garantiu o vice-prefeito e presidente do comitê, Juliano Abe (MDB).

Outro argumento que embasa a solicitação de reanálise é que o conceito de lazer no ato de consumo em bares e restaurantes é incorreto, uma vez que muitos trabalhadores, inclusive da saúde, necessitam se alimentar no período noturno. (F.A.)

Deixe uma resposta

Comentários