Estudo aponta equilíbrio na distribuição dos passageiros

Trabalhos de desinfecção foram intensificados nos terminais de ônibus da cidade
Trabalhos de desinfecção foram intensificados nos terminais de ônibus da cidade - FOTO: Ney Sarmento/PMMC
Um levantamento realizado pela Secretaria Municipal de Transportes e pelo Comitê Gestor de Retomada Gradativa de Atividades Econômicas aponta uma maior distribuição dos passageiros do transporte coletivo de Mogi das Cruzes ao longo do dia. O movimento é o contrário do que ocorria no período antes da pandemia, quando havia um grande pico de usuários no início da manhã e no final de tarde.

O "achatamento da curva" do transporte coletivo ajuda a evitar a lotação dos ônibus, o que é fundamental para o controle da pandemia. "Em Mogi das Cruzes, em comum acordo com os representantes de todos os setores econômicos, estabelecemos horários diferenciados para os diversos segmentos do comércio e de serviços. Essa distribuição das atividades ao longo do dia se mostrou acertada e estamos conseguindo distribuir o fluxo de passageiros nos ônibus", acentuou o prefeito Marcus Melo (PSDB).

O estudo comparou o número de usuários que utilizaram os ônibus durante todas as segundas-feiras do ano. Ele faz parte do acompanhamento contínuo realizado pela equipe da Secretaria Municipal de Transportes do funcionamento do sistema de transporte coletivo de Mogi das Cruzes.

"Durante toda a quarentena para o combate à pandemia do coronavírus, a Prefeitura vem realizando um trabalho técnico de acompanhamento para que os mogianos que precisam se deslocar para o trabalho, para atividades essenciais ou para buscar atendimento tenham um transporte de qualidade", explicou o prefeito.

Hoje, por exemplo, o sistema municipal de transporte coletivo opera com 61% da frota de ônibus, mesmo que o número de passageiros transportados seja em média de 37,82% do que era transportado antes do início da pandemia, como registrado na última segunda-feira.

"A Secretaria de Transportes realiza o acompanhamento da taxa de passageiros transportados diariamente, fazendo os ajustes sempre que necessário. Nas últimas semanas, já foi reforçado o atendimento nos corredores que atendem o distrito de Jundiapeba, a região do Conjunto Santo Ângelo, o bairro do Botujuru e a região da rodovia Mogi-Bertioga", disse o prefeito.

Em março, antes das medidas restritivas começarem, o número de passageiros transportados entre 6 e 7 horas chegou a atingir 42.273 pessoas. Já em junho, o número caiu para 21.030 pessoas. No horário entre as 17 e 18 horas, a redução foi menor, mas ainda assim expressiva, passando de 35.400 para 19.576 passageiros no mesmo período.

Esta tendência vem se mantendo durante o mês de julho e com a entrada do município na fase amarela do Plano São Paulo. Na segunda-feira passada, o número de passageiros transportados foi de 4.873 entre 6 e 7 horas e de 4.468 entre 17 e 18 horas.

A Prefeitura também vem atuando para que os passageiros de Mogi tenham as condições adequadas durante as viagens. Desde o início da pandemia, os trabalhos de limpeza e desinfecção dos terminais Central e Estudantes foram intensificados pela administração municipal. As empresas concessionárias do transporte também ampliaram as ações nos ônibus, tanto nas garagens quanto entre as viagens, quando os ônibus chegam nos terminais.

Deixe uma resposta

Comentários