Guardas agredidos são ouvidos pelo SIG

Os guardas Marcelo Moreno da Costa e Fabiana Jungers foram ouvidos ontem pelo Setor de Investigações Gerais (SIG) da Seccional de Mogi das Cruzes, na tentativa de identificação de outros agressores. Ambos foram agredidos no parque Botyra Camorim Gatti, em Mogi, na madrugada do dia 18, durante uma fiscalização contra aglomerações.

Fotos de suspeitos foram apresentadas pelos investigadores aos guardas, na tentativa de que estes reconhecessem possíveis agressores. Segundo o SIG, que não apresentou  detalhes sobre o depoimento dos agredidos, alguns suspeitos foram identificados, apresentando semelhanças com a lembrança dos guardas no momento das agressões.

Entretanto, devido a rapidez de como as agressões ocorreram, o SIG afirmou que as investigações serão cautelosas para não acusar inocentes. A partir do depoimento dos guardas, o SIG pretende convocar novos interrogatórios com suspeitos, para que outros agressores possam ser identificados. O depoimento dos guardas estava sendo tratado como fundamental para o andamento das investigações.

Na última quinta-feira, o quinto suspeito de participar das agressões foi ouvido pelo SIG. Na oportunidade, o jovem confessou que estava no local e que participou da ação. Até o momento, cinco jovens, sendo dois menores e três maiores de idade, foram ouvidos e liberados.

Já na madrugada do crime, um atendente de telemarketing, também suspeito de participar das agressões, foi localizado, ouvido e preso. Na semana passada, o jovem, de 20 anos, foi transferido para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Mogi das Cruzes. (F.A.)

Deixe uma resposta

Comentários