Licitação para limpar o rio Jundiaí é adiada

Problema de enchentes não será solucionado em 2020
Problema de enchentes não será solucionado em 2020 - FOTO: Mariana Acioli
Mogi permanecerá mais um ano com risco eminente de enchentes e alagamentos. Isso porque a sessão pública que aconteceria hoje e daria início ao processo de licitação dos serviços de limpeza e remoção de areia, lodo e outros sedimentos do fundo do rio Jundiaí foi adiada. O motivo do adiamento, segundo o Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE), é a suspeita de contaminação do coronavírus por parte de um  pregoeiro que faria a apresentação da sessão e abertura dos envelopes, com as propostas das empresas interessadas. A nova data para o processo é dia 7 de agosto.

Sobre a situação, o secretário de Meio Ambiente de Mogi, Daniel Teixeira de Lima, comunicou que o pregoeiro não poderia ser substituído de última hora e, por este motivo, a sessão teve que ser adiada. "São situações que fogem do escopo da Prefeitura e até mesmo do DAEE", lamentou.

Questionado sobre a possibilidade do serviço de desassoreamento ter impacto no município já neste próximo verão - estação que apresenta fortes chuvas e enchentes na região, com início no final do ano -, o secretário informou que a limpeza de trechos do rio Jundiaí poderá começar entre setembro e novembro e já diminuir o volume de água. "Mas o impacto da obra mesmo nós só veremos no próximo ano", disse.

As cidades da região estão desde o ano passado solicitando ao Estado os serviços de desassoreamento, em razão a problemas de enchentes que muitos rios e córregos apresentam durante as chuvas. Só a limpeza do rio Jundiaí conta com investimento de R$ 4,4 milhões e é apenas o primeiro de quatro projetos, que têm como objetivo limpar os rios Guaió (Suzano), Jaguari (Suzano e Itaquaquecetuba) e o córrego Itaim (Poá), ao custo total de R$ 9,1 milhões.

O último desassoreamento do rio Jundiaí ocorreu há mais de dez anos, e na ocasião, 62 mil metros cúbicos de material foram retirados no rio.

*Texto supervisionado pelo editor. 

Deixe uma resposta

Comentários