O Deus que se revela

Francis A. Schaeffer (1912-1984), teólogo e escritor, nos deixa, como herança de fé, os seus 23 livros traduzidos para mais de 25 idiomas com milhões de exemplares vendidos. Contrastando com o silêncio e desespero do homem moderno, Schaeffer tem a resposta de ser possível conhecer o Deus que intervém, porque Ele se revela.

Pessoas estão se sentindo angustiadas porque não conseguem encontrar o caminho da paz prometido por uma razão divorciada da fé, decepcionados, então, buscam refugiar-se no existencialismo onde a pregação é a desconstrução da individualidade, e assim massificados tornam-se um nada irresponsável por se acharem produto e vítima do meio em que vivem.

Romanos 1 20: "Porque os atributos invisíveis de Deus, assim seu eterno poder como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas". Os homens que não desejam ver o Deus que se revela são indesculpáveis.

Quando alguém em conversa diz que este mundo está um caos, não se entende mais nada e não tem mais jeito, mostra a filosofia do pensamento humanista de hoje. De fato, teoricamente, você pode apregoar essas ideias, mas na prática o pensamento filosófico modernista não tem resposta razoável e satisfatória para as inquirições essenciais do ser humano. Na verdade, o racionalismo colocou no coração do homem o caos ateísta angustiante da descrença no Criador.

Teologicamente, porém, Ele vai adiante e revela em sua Palavra ser o Deus Pessoal que ama tanto o pecador que deseja dele a reconciliação, e para isso "deu (em sacrifício na cruz) o seu Filho unigênito, para que todo o que Nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna".

Romanos 3: 16. Essa é a resposta do Deus Pessoal que se revela ao homem perdido para resgatá-lo das trevas da escravidão do pecado para o bem-aventurado reino da Sua luz. O caos está no homem e não na Natureza que Deus, o Criador, cuida com muito amor para nos dar beleza, sustento e vida.