Naufel aposta em retorno das aulas apenas no próximo ano

Enquanto a Secretaria Municipal de Educação não confirma a suspensão das aulas em Mogi das Cruzes até o final de 2020, o secretário municipal de Saúde, Henrique Naufel, afirmou à reportagem na tarde de ontem que aposta no retorno das aulas presenciais apenas em 2021 e que o planejamento feito atualmente é para o próximo ano.

As atividades escolares estão suspensas desde o final de março como medida para controle da pandemia de coronavírus. Ainda não há a confirmação da Prefeitura que as aulas presenciais serão suspensas até o final deste ano. Porém, Naufel apostaria no adiamento. "Se pudesse apostar, apostaria que as aulas voltariam no próximo ano, em 2021. Estamos nos preparando para isso", completou.

O secretário explicou que o retorno das aulas da rede municipal e estadual implicaria em riscos às crianças e aos profissionais da Educação, já que a testagem realizada entre 21 e 25 de setembro evidenciou que apenas 4,2% das 3.749 crianças e adolescentes da rede municipal de ensino testadas, ou seja, 159 crianças, já tiveram contato com a Covid-19.

Se por um lado o número é satisfatório no ponto de vista da saúde pública, o fato da imensa maioria não ter tido contato com a doença revela que as crianças estão mais suscetíveis a serem contaminadas e a transmitir o novo coronavírus.

Além disso, na mesma pesquisa foram testados 1.410 funcionários que atuam nas escolas mogianas. Desse total, apenas 2,9%, o que representa 40 pessoas, já tiveram contato com o vírus. Resultado que também corrobora o temor da administração municipal de um contágio facilitado entre os funcionários, já que estes, em sua maioria, ainda não foram contaminados.

Se não bastasse esta possibilidade de contágio, familiares de alunos e profissionais de Educação também estariam em risco de contrair a Covid-19. Além disso, segundo Naufel, "a circulação de pessoas na cidade seria ainda mais intensa, com até 70 mil pessoas circulando por dia para o funcionamento da rede". "E com isso, o risco de uma segunda onda da Covid-19 seria eminente", projetou o secretário.

A pesquisa com pais, professores e toda a comunidade escolar sobre a possibilidade de retorno das aulas municipais ainda neste ano, realizada em agosto, também corrobora para a aposta de Naufel. O estudo revelou o expressivo resultado de 89% dos participantes se mostrando contrários à retomada presencial dos estudos.

Brasil

No mesmo sentido, segundo a pesquisa da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), 82% dos municípios brasileiros acreditam que não há condições sanitárias de retomar as aulas presenciais este ano. Foram 3.988 municípios consultados, onde 31,4 milhões de alunos estudam. Desse total, 14,6 milhões de alunos são atendidos pela rede municipal.

Apenas 677 das cidades pesquisadas afirmaram ter condições de reabrir as instituições de ensino ainda neste ano, desde que recomendado por autoridades sanitárias e de saúde.

Deixe uma resposta

Comentários