Suzano vê redução de 12% da população infantil em 20 anos

Diminuição em Suzano acompanha cidades da região
Diminuição em Suzano acompanha cidades da região - FOTO: Mogi News/Arquivo
A população infantil de Suzano caiu 12% nos últimos 20 anos. Enquanto o número geral de habitantes cresceu de 227.917 para 291.002 a população menor de 12 anos reduziu de 55.932 para 49.165 nas últimas duas décadas. Os dados são de uma pesquisa da Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade) publicada neste mês e apontam redução semelhante em todo o Estado de São Paulo.

Há menos crianças brincando nas ruas, e essa constatação não se deve apenas ao advento dos jogos digitais e popularização do entretenimento online. Há 20 anos, a participação de crianças na população geral de Suzano era de 24,5% agora o mesmo grupo representa 16,9%.

A redução informada em Suzano pelo Seade acompanha o ritmo em todo o Estado de São Paulo nestas duas últimas décadas. Hoje, há 12% menos crianças paulistas do que havia em 2000.

Para o professor e sociólogo Afonso Pola, a redução se deve a uma combinação de fatores, entre eles, o aumento da expectativa de vida e mudança de comportamentos da sociedade nas últimas décadas. "Tivemos uma alteração na pirâmide etária, as pessoas estão vivendo mais, o que significa um aumento da população com mais idade. Além disso, vivemos um processo que se iniciou na década de 1980 onde a taxa de natalidade vem constantemente diminuindo", explicou

De acordo com Pola, a inversão se deve ao êxodo rural e adoção de comportamentos urbanos. "Até a década de 1960, o Brasil era um país com a população majoritariamente agraria, e neste meio rural, um filho não era uma despesa mas um fator de produção, pois desde cedo ajudava nos trabalhos do campo. Isso, aliado ao hábito dos casamentos de jovens entre 14 e 16 anos, produzia uma média de filhos por casal bem superior a que temos hoje nas cidades", indicou o sociólogo, destacando que a inserção das mulheres no mercado de trabalho também contribuiu para essa mudança.

O professor apontou que esse fenômeno também está presente em outras sociedades ocidentais, e é bem mais visível na Europa, onde a inversão da pirâmide etária já marca uma redução da população.

As demais cidades do G5 - cinco cidades mais populosas do Alto Tietê - também apresentaram redução semelhante.

Depois de Suzano, Itaquaquecetuba contabilizou a segunda maior redução da região. Diminuindo 10,6% a sua população menor de 12 anos. Em 2000, eram 74.674 crianças, duas décadas depois esse grupo caiu para 66.691.

Em Poá essa redução foi de 10%. Em número gerais, a cidade teve uma variação em sua população infantil de 22.563 para 20.294 conforme divulgou a fundação.

Em seguida, Ferraz de Vasconcelos observou uma redução de 8,1% na quantidade crianças ferrazenses do que há 20 anos, a mudança foi de 36.638 em 2000 para 33.636 em 2020.

Com uma mudança proporcional próxima da registrada em Ferraz, Mogi das Cruzes viu sua população infantil cair em 8%, indo de 75.255 para 69.173 nas últimas duas décadas.

*Texto supervisionado pelo editor.

POPULAçãO INFANTIL NO G5

Municipios do População Infantil (menores de 12 anos) População Total Proporção da população infantil no total (%)
G5 2000 2020 2000 2020 2000 2020
Ferraz de Vasconcelos 36.638 33.636 141.852 193.037 25,83 17,42
Itaquaquecetuba 74.674 66.691 271.649 370.589 27,49 18,00
Mogi das Cruzes 75.255 69.173 329.653 432.905 22,83 15,98
Poá 22.563 20.294 95.597 115.538 23,60 17,56
Suzano 55.932 49.165 227.917 291.002 24,54 16,90

Fonte: Seade

Deixe uma resposta

Comentários