Usuários de ônibus aumentam 18% com a fase verde em Mogi

Os embarques de passageiros nos ônibus municipais de Mogi das Cruzes têm ocorrido com mais frequência conforme o município avança no Plano São Paulo de Retomada Econômica em relação à pandemia de coronavírus (Covid-19). As informações da Secretaria Municipal de Transporte apontaram que, durante os três meses de duração da fase amarela foi registrada uma média de 61.370 passageiros transportados por dia, porém, desde a ascensão do Alto Tietê à fase verde, a média subiu para 72.427 usuários transportados por dia nos coletivos municipais, o que revela uma elevação de 18% na quantidade de pessoas no sistema de ônibus de Mogi.

A instalação de dispositivos com álcool em gel em todos os coletivos por meio da Lei 7.607/2020 pode ter colaborados para o aumento de usuários no sistema.

Para atender a demanda, o Executivo municipal amplia gradativamente também o número de ônibus. "A quantidade de veículos em operação também cresceu, passando de 168 ônibus (75% da frota total) na fase amarela para 188 ônibus atualmente (84,3% da frota total)", acrescentou a Secretaria Municipal de Transporte.

Alto Tietê

Além de Mogi, os demais municípios do Alto Tietê entraram para a fase verde de flexibilização da quarentena na sexta-feira retrasada. O avanço foi anunciado pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que deve reclassificar as cidades no dia 16 de novembro.

Em relação a Itaquaquecetuba, a Prefeitura informou que houve um pequeno aumento entre as fases laranja (antes de agosto) e verde, de 2 mil passageiros a mais. "Na fase laranja, eram transportados cerca de 32 mil passageiros diariamente e na fase verde esse número chegou a 34 mil", apontou a Secretaria Municipal de Transporte.

O mesmo ocorre em Suzano, onde os coletivos municipais têm recebido cada vez mais usuários conforme o município avança no Plano São Paulo. As informações da Secretaria Municipal de Transporte mostraram, ontem, que no início da pandemia de coronavírus, o número de passageiros chegou a ser menor do que 20%, sendo observado atualmente cerca de 60% da demanda normal de passageiros.

Embora tenham sido questionadas, as prefeituras de Poá e Ferraz de Vasconcelos não responderam a reportagem até o final desta edição.