Exportações registram queda de R$ 140 milhões em Mogi

Nova contaminação pela Covid-19 afetaria as cerca de 1,9 mil empresas ativas em toda a região
Nova contaminação pela Covid-19 afetaria as cerca de 1,9 mil empresas ativas em toda a região - FOTO: Divulgação/Agência Brasil
Mogi das Cruzes perdeu cerca de R$ 140 milhões em exportações durante a pandemia da Covid-19. Isso é o que mostra levantamento realizado pelo Grupo Mogi News com base nos dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

Segundo a pasta, entre os meses de março e setembro deste ano, o município gerou cerca de R$ 355 milhões em receitas provenientes de exportações (US$ 63 milhões), rendimento 28,2% menor em relação ao mesmo período do ano passado. Nestes seis meses de 2019 foram gerados aproximadamente R$ 496 milhões com a saída de mercadorias do território nacional (US$ 88 milhões). 

Os valores são calculados sobre produtos com frete classificado como FOB (da sigla em inglês de Free on board, que significa "livre a bordo"), que ocorre quando o custo pelo transporte não está embutido no valor cobrado pela mercadoria.

No acumulado do ano, o cenário em Mogi das Cruzes é semelhante. De janeiro a setembro deste ano, as exportações geraram R$ 489 milhões (US$ 87,5 milhões) enquanto no ano passado, a receita foi de R$ 632 milhões (US$ 113 milhões).

O resultado apresentado em Mogi é semelhante ao registrado no Estado de São Paulo, entretanto, a queda foi mais acentuada no município. De acordo com o ministério, durante a pandemia, o Estado apresentou retração de 11,9% nas exportações nos primeiros nove meses de 2020, já que foram gerados cerca de R$ 152,3 bilhões (aproximadamente US$ 27,2 bilhões), enquanto entre os meses de março e setembro de 2019, foram aproximadamente R$ 173 bilhões (cerca de US$ 30,8 bilhões).

Levantamento publicado ontem pela Organização das Nações Unidas (ONU) aponta que as exportações em todo território nacional sofreram um queda mais profunda que a média do comércio internacional no terceiro trimestre deste ano. Entre julho e setembro, os países apresentaram, em geral, uma queda de 4,5%. Entretanto, no caso do Brasil, a queda foi de 7,7%. Os Estados Unidos e a União Europeia tiveram quedas ainda mais acentuadas, com contração de 11,5% e 8,9%, respectivamente.

Indústria regional

Os impactos da pandemia do novo coronavírus na indústria do Alto Tietê já eram visíveis desde julho e podiam ser medidos também pelo desempenho da balança comercial. Dados do primeiro quadrimestre deste ano, divulgados pelo Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), mostram uma retração de 13% no comércio exterior em relação ao mesmo período do ano passado, resultado do decréscimo de 20,5% nas exportações, inferior a queda em Mogi, e de 7,9% nas importações da região.

Nos quatro primeiros meses de 2020, o saldo da balança comercial do setor no Alto Tietê, que inclui as cidades de Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes, Poá, Salesópolis e Suzano, foi de US$ 129,7 milhões, enquanto entre janeiro e abril de 2019, foi de US$ 95 milhões.

Deixe uma resposta

Comentários