Mogi emite 19 multas para estabelecimentos comerciais

A Secretaria de Segurança de Mogi das Cruzes emitiu, entre a sexta-feira e o domingo passado, 19 multas a proprietários de estabelecimentos comerciais, as quais oito foram a comerciantes que excederam o horário de funcionamento estipulado para a fase verde do Plano São Paulo, que é de 12 horas, e também infringiram a Lei do Silêncio. Ontem, o secretário municipal de Segurança, Paulo Roberto Madureira Sales, lamentou os episódios de aglomeração.

"É preciso lembrar que ao realizar aglomerações, sejam em pancadões, bares ou rodas de samba, as pessoas estão gerando mais riscos aos próprios familiares contraírem a Covid-19. Gostaria que essas pessoas tivessem mais conscientização sobre o momento que estamos vivendo", disse o secretário.

As oito multas por desrespeito à Lei do Silêncio são também por ultrapassarem o horário de funcionamento, ou seja, para aqueles comerciantes que mantiveram seus estabelecimentos abertos após meia-noite.

Além dessas, outras quatro autuações foram efetuadas por desrespeito ao decreto de flexibilização em relação ao coronavírus, segundo a Secretaria Municipal de Segurança. Três das 19 multas foram por pancadões no município, que ainda não tiveram os locais divulgados. Outras duas foram por desrespeito à Lei Seca, uma por falta de licenciamento e outra por bloqueio de calçada com mesas e cadeiras.

Também entre a sexta-feira e o domingo a Secretaria Municipal de Segurança efetuou duas multas por pichação.