SSP se defende da denúncia de déficit na corporação

Em resposta à reportagem do Grupo Mogi News sobre o déficit no quadro de funcionários da Polícia Civil de Mogi das Cruzes e Região, apontado pelo Sindicato dos Policiais Civis do Alto Tietê, publicada ontem, a Secretaria do Estado de Segurança Pública (SSP) informou que autorizou a abertura de mais de 2.750 vagas no Estado para concursos da Polícia Civil e que investe na valorização, ampliação e recomposição do efetivo policial em todo o Estado.

Ontem, o presidente licenciado do Sindicato dos Policiais Civis de Mogi das Cruzes e Região, Waldir Fernandes, disse que, mesmo com o aumento exponencial da população de Mogi das Cruzes e de todo o Alto Tietê, a quantidade de policiais civis em atividade vem diminuindo constantemente na região, o que resulta no péssimo serviço prestado pela Polícia Civil na região.

"A prestação de serviço é comprometida, não funciona. E não é pelos policiais que lá estão, porque estes são heróis, mas sim, pelo desinteresse e descaso do governo", criticou, na oportunidade. "Falta empenho, sobra desinteresse e descaso", respondeu, quando questionado sobre os motivos que levam a este déficit no quadro da polícia.

Segundo a Pasta estadual, além de permitir a ampliação do efetivo, a atual gestão também promoveu melhorias nas bonificações aos policiais, reajustando em 5% o piso salarial dos profissionais, equiparando o auxílio alimentação dos agentes. "O governo de São Paulo também autorizou a abertura de mais 2.750 vagas para concursos da Polícia Civil, sendo 250 delegados, 900 investigadores e 1,6 mil escrivães", disse a Secretaria do Estado de Segurança Pública.

Entretanto, em razão do decreto 64.937, de 13 de abril de 2020, novas contratações estão temporariamente suspensas, a fim de que os recursos sejam destinados ao combate ao coronavírus. (F.A.)

Deixe uma resposta

Comentários