Condemat destaca importância de baixo número de mortes

Secretário Naufel defende que decisão de regressão foi científica e não política
Secretário Naufel defende que decisão de regressão foi científica e não política - FOTO: Ney Sarmento/PMMC
Apesar de não representar o controle da situação referente à pandemia da Covid-19, o registro de apenas uma morte em 24 horas no Alto Tietê, notificada na quinta-feira, foi avaliado como significativo. Isso porque, desde o dia 7 de abril a região não registrava apenas um óbito em decorrência da pandemia do novo coronavírus no período de 24 horas.

O Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) notificou a morte na noite de anteontem de uma mulher de 83 anos, moradora de Mogi das Cruzes. Com comorbidades, ela faleceu no Hospital Municipal de Braz Cubas, segundo informou a Secretaria Municipal de Saúde.

A Câmara Técnica de Saúde do Condemat avaliou que o feito é muito positivo, mas que é prematuro dizer que o fato será uma tendência para o futuro e, principalmente, que o risco está controlado. Isso porque, segundo dados da própria entidade, a região registrou 21 novos óbitos e 859 novos casos da doença na última semana. Além disso, a curva estatística da doença permanece alta e, principalmente, as notificações não pararam.

Na avaliação da coordenadora da Câmara Técnica de Saúde do Condemat, Adriana Martins, ainda faltam "muitas respostas para o coronavírus". "Esperamos sim que essa tendência de queda nos casos confirmados e óbitos se mantenha nas próximas semanas, mas de maneira alguma podemos relaxar", explicou Adriana, citando outros países e mesmo em alguns Estados brasileiros, que estão sendo obrigados a impor medidas restritivas em razão do crescimento dos casos. "Portanto, nossa recomendação é para que a população mantenha as condutas de segurança, em especial, de isolamento social", completou.

No mesmo sentido, para o secretário municipal de Saúde de Mogi das Cruzes, Henrique Naufel, o fato inédito nos últimos seis meses é "muito alentador" e representa que a região tem seguido a tendência de média móvel. Entretanto, segundo o titular da Pasta, não significa que o Alto Tietê possa flexibilizar a manutenção das medidas contra o coronavírus.

"O fato isolado é muito alentador, mas epidemiologicamente temos de ver pelo todo. Obviamente, o menor número de óbitos, seguidamente, diminuirá a média", explicou. "Espero que essa tendência se mantenha. Entretanto, não podemos perder de vista os cuidados básicos", alertou o secretário Naufel.

Deixe uma resposta

Comentários