Covid-19 é fator desencadeante para infarto e AVC

Webinar na quinta-feira reuniu médicos especialistas, secretários e diretores dos munícipios consorciados
Webinar na quinta-feira reuniu médicos especialistas, secretários e diretores dos munícipios consorciados - FOTO: Reprodução
Ainda faltam muitas respostas sobre a Covid-19, mas os especialistas já constataram que o vírus é fator desencadeante de Acidente Vascular Cerebral (AVC) e infarto, doenças que figuram entre as principais causas de óbitos e incapacitação da população. E o mais grave. O medo da contaminação pelo coronavírus tem levado as pessoas a negligenciarem os sintomas de que algo não vai bem com o cérebro e o coração e a retardar a procura por atendimento hospitalar, diminuindo as chances de recuperação.

Esses alertas foram apresentados durante o webinar "Tempo É Vida", promovido pelo  Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) na quinta-feira, em parceria com o Hospital das Clínicas Luzia de Pinho Melo (HCLPM) e a Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp), instituições que desenvolvem com o consórcio os projetos AVC e infarto, que visam a redução das estatísticas dessas doenças na região.

No Hospital Luzia, cerca de 5% dos pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 também apresentaram quadro de AVC. "A avaliação desses casos revela que, assim como a hipertensão arterial e o diabetes, o processo infeccioso da Covid-19 é um fator desencadeante do AVC, principalmente em pacientes que já apresentam outros fatores de risco", ressalta o médico cardiologista Gustavo Bittencourt, coordenador dos Setores Críticos do HCLPM.

Quando a estatística recai para o âmbito estadual, o indicativo é de que até 30% dos pacientes internados por Covid-19 apresentam lesão miocárdica, quando não o infarto agudo do miocárdio já instalado. Com um agravante. O processo inflamatório desencadeado pelo coronavírus no coração amplia os riscos de mortalidade pelo Infarto.

"O vírus da Covid gosta predominantemente dos pulmões, mas também ataca o coração. Ele pode lesar diretamente o coração ou, nas pessoas que já apresentam uma predisposição, pode desencadear a formação de coágulos e o desenvolvimento do infarto", explica o cardiologista Edson Stefanini, diretor do Centro de Treinamento da Socesp.

Os fatores de risco do AVC e do infarto são praticamente os mesmos - hipertensão, diabetes, colesterol alto, tabagismo, obesidade e alcoolismo, entre outros - e os especialistas alertam para a necessidade de acompanhamento dessas condições como medida de prevenção e busca de atendimento médico imediato em caso de sintomas como boca torta, dificuldade de fala e perda de força (indicativos de AVC) e dor no peito (característica do infarto). O recado é direcionado principalmente aos homens.

O webinar "Tempo É Vida" está disponível na página oficial do Condemat no Facebook (condemataltotiete). O seminário contou, ainda, com a participação do diretor clínico do HCLPM, o cardiologista Luiz Carlos Viana Barbosa, e de secretários e diretores de saúde dos municípios consorciados.

Deixe uma resposta

Comentários