Ângelo é 2º mais novo a jogar pelo Santos

Ângelo entrou no 2º tempo da partida de domingo
Ângelo entrou no 2º tempo da partida de domingo - FOTO: Ivan Storti/Santos FC
O atacante Ângelo Gabriel dificilmente vai conseguir se esquecer da última semana. Com apenas 15 anos, ele fez, em um período de apenas quatro dias, o seu primeiro treino com o elenco principal do Santos, assinou um pré-contrato com o clube e estreou entre os profissionais. Superou, assim, até mesmo Pelé em precocidade pelo time.

No domingo, Ângelo, relacionado por Cuca para o duelo com o Fluminense, foi acionado durante o segundo tempo da derrota no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro. Não conseguiu evitar o placar de 3 a 1, mas entrou para a história ao atuar pela primeira vez com o Santos tendo apenas 15 anos, 10 meses e 4 dias.

Ângelo, assim, só está atrás de Coutinho na relação dos mais jovens que vestiram a camisa do clube. O centroavante participou da goleada do Santos por 7 a 1 sobre o Sírio Libanês, de Goiás, em 17 de maio de 1958 quando tinha apenas 14 anos, 11 meses e 6 dias.

Com isso, Ângelo deixou para trás Pelé, e por apenas 11 dias. O Rei do Futebol atuou pela primeira vez com a camisa santista com apenas 15 anos, 10 meses e 15 dias, numa goleada por 7 a 1 sobre o Corinthians de Santo André, em 7 de setembro de 1956.

"Aos 14:06 minutos do segundo tempo, eu realizo o sonho de me tornar jogador profissional de futebol. No dia em que o Rei do Futebol foi homenageado e na semana do seu aniversário, eu, um simples garoto sonhador e humilde, que só queria brincar com a bola nas vielas e campos do simples bairro onde cresci. E que aos 9 anos, veio para o Santos sem saber o que Deus estava preparando. Me tornar o segundo mais jovem a estrear com a camisa do Santos futebol Clube, onde o Rei Pelé fez história, foi realmente uma experiência inexplicável", disse o jovem atleta nas redes sociais

Ângelo substituiu Lucas Braga durante o segundo tempo e atuou aberto pela ponta direita. Mas teve desempenho discreto, algo considerado natural pelo técnico Cuca, que aposta na evolução da jovem promessa do Santos nas próximas chances que vai receber.

"O que me fez trazer o Ângelo foram os jogos e treinos da base. Para colocar no jogo foi a necessidade que a gente tinha de um jogador de velocidade pelo lado, uma vez que o Marinho estava por dentro e a gente não tinha o Kaio Jorge. Eu precisava da velocidade pelo lado direito. Lógico que ele vai render muito mais no decorrer da carreira. Foi uma primeira vez. Tende a ser bem melhor na segunda, na terceira, pela experiência que o menino vai ganhar", explicou o treinador.

A atuação, ainda que apagada e de pouco mais de 30 minutos, concluiu uma sequência de dias agitados para Ângelo, com o primeiro treino no elenco principal, a assinatura de um pré-contrato com o clube e a estreia em pleno Maracanã. (E.C.)

Deixe uma resposta

Comentários