Felicidade medida

Dinamarqueses devem estar fazendo algo estranho: em 2008, o país foi classificado como o mais feliz do mundo, segundo um nada suspeito Mapa Mundial da Felicidade com o aval de entidade ligada a Valores. No mesmo ano, o país escandinavo ficou em 2º lugar pela World Happiness, e por pouco não venceu, a também escandinava Islândia! As pesquisas sobre a felicidade entrevistaram pessoas em todo o mundo. Você foi consultado?

Dinamarqueses demonstraram impressionante conexão social, satisfação com a carreira e com a estabilidade política e econômica, fatores decisivos na promoção da felicidade!

Então: quer dizer que o dinamarquês médio é mais feliz que um monte de outros sofredores do mundo? Bem, o que tais pesquisas medem? De acordo com o Aurélio: felicidade é um nada raro estado de bem-estar e satisfação! Estado que, varia de pessoa para pessoa. Sabe-se, também, que um dos sinais mais evidentes da felicidade é aparentar uma carinha alegre. Carinha como produto de reações fisiológicas: aumento da atividade do lobo esquerdo do cérebro pré-frontal, e quantidades reduzidas de cortisol, hormônio do estresse, na corrente sanguínea. Se isso ocorrer pode ter certeza que está feliz!

A pesquisa também alerta: reflexos físicos de felicidade são temporários! Toda sensação de prazer desaparece após assistir um filme comovente ou a abertura de nada previsto, presente de aniversário.

A quantificação da felicidade comumente se baseia em autodeclaração. Todas pesquisas sobre a felicidade, propõem um conjunto amplo de questões, enquanto outras, só cinco. Pesquisas que pedem às pessoas para classificar numa escala, o grau de satisfação sobre vários aspectos de suas vidas. Assim, uma das questões mais críticas da World Values Survey é: Levando em conta todas as coisas, você diria que é muito feliz, bastante feliz, não muito feliz ou nada feliz? Pontual, não acham?