Cultura livre

Uma boa notícia foi dada anteontem pela Secretaria de Cultura de Mogi das Cruzes: a volta das atividades no Theatro Vasques e no Centro Cultural a partir de 7 de novembro. Com isso, talvez um dos últimos setores que ainda sofriam restrições rígidas por conta da quarentena para frear o avanço do coronavírus, está liberado para retomar o seu caminho natural. Claro que alguns cuidados deverão ser tomados para evitar riscos de aglomeração e o aumento de casos de contaminação.

No Theatro Vasques, por exemplo, serão obedecidos os preceitos básicos de higiene e segurança, entre eles a disponibilização de álcool em gel, que ficará sob responsabilidade do organizador dos eventos. Também haverá limitação de 1/3 da capacidade máxima de espectadores (algo em torno de cem pessoas). Os camarins terão o máximo de oito pessoas simultaneamente e, a área técnica, ficará restrita a quatro profissionais por vez.

As mesmas regras serão seguidas na ocupação da Galeria de Artes Wanda Coelho Barbieri, no piso térreo do Centro Cultural, e na Sala Multiuso Wilma Ramos, no 1º andar. A limitação será de 20 pessoas por ambiente e obediência a todas as normas de distanciamento. As medidas são protocolares e visam a segurança dos visitantes.

Também foi anunciado ontem pelo governo federal o início do pagamento do auxílio emergencial a artistas prejudicados pela pandemia, atendidos pela Lei Aldir Blanc. Serão, ao todo, R$ 797 milhões reservados para o grupo. Segundo cálculos do UOL, a verba é suficiente para pagar cinco parcelas de R$ 600 a aproximadamente 265 mil pessoas cadastradas no país. O risco, segundo avaliação da empresa jornalística, serão os casos de fraude que poderão ocorrer, justamente porque boa parte dos artistas já foi beneficiada pelo programa geral.

Entretanto, a possibilidade de pagamentos irregulares compete a outro departamento. O importante é que muita gente que ficou sem trabalho durante a pandemia pode ter uma compensação mínima. Com a liberação das atividades de entretenimento, autorizadas pelo programa estadual, a expectativa é que o setor de Cultura volte, gradativamente, ao seu normal.