Comitês discutem hoje volta às aulas presenciais em 2021

A Secretaria Municipal de Educação e os Comitês de Covid-19 e Gestor de Retomada Gradativa das Atividades Econômicas realizam hoje, às 11 horas, reunião de trabalho para tratar da volta às aulas presenciais em Mogi das Cruzes.

As atividades escolares estão suspensas desde o final de março, como medida para controle da pandemia do coronavírus.

Na capital, o prefeito Bruno Covas (PSDB), autorizou o retorno presencial optativo dos alunos do ensino médio, desde terça-feira passada.A norma vale para escolas públicas e privadas. Para alunos da educação infantil e do ensino fundamental, apenas atividades extracurriculares podem ocorrer presencialmente. A liberação, porém, depende das prefeituras municipais.

O encontro a ser realizado hoje no auditório do prédio-sede da Prefeitura de Mogi das Cruzes deve contar com a presença do prefeito Marcus Melo (PSDB), do vice-prefeito e presidente do comitê responsável pela retomada gradual das atividades, Juliano Abe (MDB), e dos secretários municipais de Educação e Saúde, Juliana Guedes e Henrique Naufel, respectivamente.

A teoria de que o retorno das aulas presenciais para a rede pública e privada em Mogi deve ocorrer apenas no próximo ano foi reforçada há duas semanas, quando, em seu programa eleitoral, o prefeito marcos Melo afirmou que as aulas não serão retomadas "neste momento" por falta de segurança em relação à pandemia e devido aos resultados da pesquisa realizada pela Prefeitura com pais e responsáveis de alunos, em agosto, na qual a maioria se mostrou desfavorável ao retorno presencial em 2020.

O posicionamento do chefe do Executivo municipal vai de encontro ao que seu secretário de Saúde enxerga como mais provável que possa ocorrer. Em meados de outubro, Naufel afirmou à reportagem do Mogi News que apostaria no retorno das aulas presenciais apenas no próximo ano. "O planejamento realizado pela administração municipal é neste sentido", disse o secretário de Saúde, na ocasião.

O titular da Pasta explicou naquela oportunidade que a retomada do ensino presencial da rede municipal e estadual implicaria em riscos às crianças e aos profissionais da Educação, já que a testagem realizada entre 21 e 25 de setembro evidenciou que apenas 4,2% das 3.749 crianças e adolescentes da rede municipal de ensino testadas, ou seja, 159 crianças, já tiveram contato com a Covid-19. Se por um lado o número é satisfatório no ponto de vista da saúde pública, o fato da imensa maioria não ter contato com a doença revela que as crianças estão mais suscetíveis a serem contaminadas e a transmitir o novo coronavírus.

Se não bastasse os indícios deixados pela própria administração municipal sobre a suspensão das aulas presenciais em 2021, o Ministério Público (MP) pontuou, no início de outubro, que o ideal seria o prefeito Marcus Melo revogar, suspender ou deixe de tomar qualquer medida que possa autorizar, neste ano, a retomada das atividades educacionais em escolas públicas ou particulares, em quaisquer níveis de ensino da cidade.