Redes aprovam suspensão das aulas presenciais neste ano

De Paula fará avaliações com alunos no início do próximo ano
De Paula fará avaliações com alunos no início do próximo ano - FOTO: Arquivo Pessoal
Mesmo com o reflexo financeiro se mostrando extremamente negativo para as escolas privadas, mantenedores de unidades particulares de Mogi das Cruzes avaliaram como positiva a suspensão das aulas presenciais em 2020 e classificaram a medida da Prefeitura como "um mal necessário".

A suspensão definitiva do ensino presencial na cidade neste ano foi anunciado anteontem pelo prefeito Marcus Melo, em reunião com os Comitês de Covid-19 e Gestor de Retomada Gradativa das Atividades Econômicas, além dos secretários municipais de Educação e de Saúde.

As atividades escolares privadas e da rede pública estão suspensas na cidade desde o final de março, como medida para controle da pandemia do coronavírus.

Para Pablo Monteiro, mantenedor do Colégio Marechal Rondon, a rede privada, em especial o colégio pelo qual é responsável, conseguiu se adaptar bem às plataformas online disponíveis, fazendo com que conseguissem concluir o planejamento programado para este ano. Para ele, o desenvolvimento educacional foi, com todas as dificuldades, satisfatório. "No momento, a decisão é acertada. Se fossemos falar em dias letivos, teríamos 30, 40 dias", explicou Monteiro.

A avaliação semelhante é feita pelo responsável pelo Colégio Gênesis, Wesley de Paula. Para ele, a suspensão foi um mal necessário e o retorno das aulas no modelo que está ocorrendo em São Paulo e outras cidades paulistas resultaria numa "perda de aprendizagem muito grande". "Como está faltando cerca de 50 dias para encerrar o ano letivo, foi feito da melhor forma", completou de Paula.

Ambos os mantenedores, assim como outras com instituições de ensino particulares instaladas em Mogi, já começaram a preparar a retomada do ensino no primeiro bimestre do próximo ano. Os dirigientes estão confiantes e esperançosos que a situação da pandemia da Covid-19 já esteja controlada e que não haja novas suspensões.

"Na primeira semana de aulas, vamos aplicar avaliações diagnósticas. Não sendo satisfatório (o resultado), vamos dar aulas de reforço para continuar sem problemas de aprendizagem em 2021", informou de Paula.

Ensino municipal

O ensino de responsabilidade do município também já possuí planejamento para 2021, com um novo currículo educacional elaborado pela Secretaria Municipal de Educação.

As prioridades serão as habilidades fundamentais que deveriam ser consolidadas neste ano letivo, de acordo com o rendimento dos alunos nas avaliações realizadas.

Estado

Para o Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo, a decisão de suspensão também foi acertada. A professora e coordenadora licenciada da categoria em Mogi das Cruzes, Inês Paz, ressaltou o descontrole da pandemia do novo coronavírus e o potencial de contágio que as crianças podem representar como pontos cruciais para a suspensão. "Seria muito preocupante se não suspendessem as aulas", disse Inês.