Pesquisa aponta Saulo Souza e Marcia Bin empatados em Poá

Azuir já ocupou o cargo de vereador
Azuir já ocupou o cargo de vereador FOTO:
Os candidatos Marcia Teixeira Bin de Sousa (PSDB), a Márcia Bin Esposa do Testinha, e Saulo Souza (Avante) estão empatados tecnicamente na liderança da disputa pela Prefeitura de Poá com 22,29% e 18,60% das intenções de voto, respectivamente, segundo dados da pesquisa estimulada realizada pelo Instituto Podium Marketing e Pesquisa Ltda. - ME, registrada no Tribunal Regional Eleitoral (SP-04912/2020). A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%. O atual prefeito Gian Lopes (PL) aparece na quarta colocação, com 10,08%.

Saulo Souza, que é vereador e concorre pela primeira vez ao cargo de prefeito, desponta como uma das surpresas do pleito, já que ultrapassa o atual chefe do Executivo e empata tecnicamente com Márcia Bin, esposa do ex-prefeito Francisco Pereira Sousa, o Testinha, que administrou a cidade por quase seis anos e acabou tendo seu segundo mandato cassado pela Câmara de Vereadores.

A pesquisa estimulada que leva em conta os votos totais apresenta na terceira colocação o candidato Azuir Cavalcante (PTB), com 13,18%, seguido pelo prefeito Gian Lopes (10,08%); Willian Ferrari (PSC), o Neno Ferrari, com 4,84%; Mário Massayoshi (PSDB), o Mário Sumirê, com 1,55%; Nelson Bueno (PSOL), com 1,55%; Ronaldo Florido(Patriota), com 1,55%; Elinaldo Pereira (Cidadania), o Naco Fantasia, com 1,36%; e Pedro Viviani (PMN), com 0,39%. Os indecisos configuram 11,05% dos entrevistados e aqueles que não souberam ou não quiseram responder totalizam 13,57%.

Para a realização da pesquisa foram ouvidas 500 pessoas entre os dias 31 de outubro e 2 de novembro em diferentes bairros da cidade. Do total de entrevistados, 53,7% são mulheres e 46,3% homens. Já a escolaridade, a maioria das pessoas que responderam ao formulário do instituto contratado (44,2%) tem ensino médio completo.

Interesse e Indecisão

Dados da pesquisa também apontam nenhum ou pouco interesse no processo eleitoral por grande parte dos eleitores ouvidos, totalizando 55%. Apenas 15% afirmou estar realmente interessado no pleito.

A parcela de pessoas que estão indecisas, ou seja, que devem decidir na última hora em qual candidato votar, e que não quiseram informar em quem apostarão seu voto, também é grande, alcançando quase 25%.