Quase 6,5 mil títulos eleitorais foram cancelados na cidade

De acordo com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), 6.419 eleitores de Mogi das Cruzes tiveram o título de eleitor cancelado e estão inaptos ao voto nas eleições municipais de 2020.

Em anos não eleitorais, a Justiça Eleitoral verifica no cadastro nacional quais eleitores não votaram e nem justificaram a ausência nos três últimos turnos. Essa verificação é chamada de depuração do cadastro e implica no cancelamento do título eleitoral em caso de não regularização, exceto nos casos em que o voto é facultativo.

A Justiça Eleitoral realizou a depuração do cadastro com o objetivo de atualizar a relação nacional de eleitores e identificou 6.758 mogianos com irregularidades, sendo que destes, 309 pessoas adotaram as medidas necessárias e regularizaram sua situação junto ao TSE e podem votar neste ano. Houve, ainda, seis cancelamentos por óbitos.

A quantidade de títulos cancelados em Mogi das Cruzes representa 2,1% do número de eleitores aptos ao voto, que neste ano chegou a 309.844. No Brasil, o cenário é semelhante, já que 2.411.788 eleitores constam com situação irregular junto ao TSE, o que representa, a título de comparação, 1,64% em relação ao total de eleitores aptos ao voto (146.805.548).

Consequências

As implicações para quem estiver com o título de eleitor cancelado são diversas. Nesta condição, o eleitor não poderá votar, ser empossado em concurso público, obter passaporte ou CPF, renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial, obter empréstimos em estabelecimentos de crédito mantidos pelo governo, participar de concorrência pública e praticar qualquer ato para o qual se exija quitação do serviço militar ou com a declaração do imposto de renda.

Alto Tietê

Na região, Suzano é o município com a maior quantidade de títulos cancelados, ultrapassando, inclusive, Mogi das Cruzes, que possui eleitorado 43,5% maior. Nos limites suzanenses foram identificados 6.803 eleitores faltosos e que precisavam regularizar sua situação eleitoral. Destes, apenas 278 acertaram as contas com a Justiça Eleitoral, o que significa que 6.492 eleitores tiveram seus títulos cancelados, além de nove eleitores que faleceram. Há ainda outros nove que aguardam atualização de sua situação e 15 não sujeitos ao cancelamento.

Itaquaquecetuba registrou o cancelamento de 4.474 títulos eleitorais; Ferraz de Vasconcelos, 2.485; e Poá - completando a lista das cinco cidades mais populosas do Alto Tietê - 1.967.