Parlamentar se esforça para compor CEV do radar

Para Moraes, radar perdeu caráter educativo
Para Moraes, radar perdeu caráter educativo - FOTO: Mogi News/Arquivo
Após a primeira reunião da Comissão Especial de Vereadores (CEV), criada na Câmara Municipal visando identificar soluções para o grande volume de infrações constatadas depois da instalação de equipamento de fiscalização de velocidade no km 58,5 da rodovia Mogi Bertioga (SP-98), o vereador e presidente do grupo, Clodoaldo de Moraes (PL) vai intensificar os trabalhos para completar o grupo. Isso porque até o momento apenas ele consta como membro da CEV, necessitando de mais dois parlamentares para prosseguimento dos trabalhos.

Durante sessão ordinária que será realizada hoje na Câmara Municipal, Moraes pretende dialogar com colegas de plenário para identificar interessados em compor a CEV. A intenção do vereador é que ainda em novembro uma nova reunião, com maior adesão popular, seja realizada na Casa de Leis, para que o movimento contra as autuações no km 58,5 da rodovia, no perímetro do bairro Vila Moraes, aumente e ganhe força na cidade.

"A situação se caracteriza como uma indústria da multa e perdeu-se o caráter educativo, sendo utilizada apenas para arrecadar dinheiro", lamentou o vereador.

Durante o primeiro encontro sobre o tema, realizado no final do mês passado, o parlamentar Moraes prometeu que cobrará uma reunião com o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) para pautar essa questão. Um dos questionamentos que será feito por Moraes ao DER é quanto à aferição periódica do equipamento, medida que visa evitar erros e injustiças nas notificações.

Outro caso

A CEV foi instaurada na sessão do dia 16 de setembro e terá validade de 180 dias. O pedido partiu do vereador Moraes, que no passado esteve à frente de outra mobilização que comprovou a indústria da multa com o radar Dedo-Duro, na mesma rodovia, e culminou com o cancelamento de mais de 42 mil notificações de trânsito. (F.A.)