PM e GCM definem estratégia para eleição

GCM também localizou um veículo produto de furto
GCM também localizou um veículo produto de furto - FOTO: Ney Sarmento/PMMC
A Polícia Militar (PM) e a Guarda Municipal de Mogi das Cruzes (GCM) definiram o esquema de atuação na cidade para garantir a segurança de eleitores, mesários e do processo eleitoral neste domingo. Neste ano, Mogi terá intensa movimentação de eleitores, já que o total de pessoas aptas ao voto chegou a 309.844.

Ao todo, o município conta com 116 escolas que serão utilizadas para votação das eleições municipais, sendo 56 municipais, 54 estaduais, duas universidades e quatro escolas particulares. 

A Secretaria Municipal de Segurança informou que a Guarda Municipal vai atuar na segurança eleitoral a partir do próximo sábado, um dia antes do pleito, em todas as 56 escolas municipais que serão utilizadas como colégios eleitorais. Segundo a Pasta, o trabalho será a segurança das urnas nas escolas municipais até depois da eleição. Ao todo, 65 guardas municipais participarão deste trabalho.

Já a Polícia Militar, por meio do Comando de Policiamento de Área Metropolitana 12 (CPA/M-12) e seus batalhões subordinados - 17º, 32º e 35º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano -, desenvolverá a Operação Eleições 2020 em Mogi das Cruzes e em outros sete municípios do Alto Tietê, para garantir a ordem pública e assegurar o pleno exercício ao direito de voto.

Segundo a Secretaria de Estado da Segurança Pública (SPP) foi preparado minucioso planejamento abrangendo desde a escolta da distribuição das urnas, o policiamento nos locais de votação e de apuração, bem como a escolta do recolhimento das mídias e demais materiais utilizados que deverão permanecer sob a guarda dos órgãos eleitorais competentes. "O trabalho da Polícia Militar buscará garantir a confiabilidade e tranquilidade para o exercício do direito ao voto pelos eleitores", disse a Pasta, por meio de nota.

Não há dados sobre o efetivo que atuará especificamente em Mogi das Cruzes. A secretaria estadual informou que serão empregados cerca de 1,7 mil policiais militares no Alto Tietê. O efetivo empregado na operação passou por treinamento específico para atuar no pleito, visando identificar as condutas atentatórias à legislação em pauta neste ano.

Além de provocar a alteração do calendário eleitoral, a pandemia da Covid-19 exigiu que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) adotasse uma série de medidas para evitar a disseminação do novo coronavírus durante as eleições municipais.

Em vez do horário de votação ser entre 8 e 17 horas, as seções eleitorais vão funcionar a partir das 7 horas para evitar aglomerações. Eleitores com mais de 60 anos terão horário preferencial, entre 7 e 10 horas.

Além do uso obrigatório da máscara, exigido por lei no Estado de São Paulo, nas filas foi determinado espaço de um metro entre os eleitores. Os locais serão demarcados com fita adesiva para garantir o distanciamento social. (F.A.)

Deixe uma resposta

Comentários