Eleitorado idoso cresce 23,3% e jovem diminui 40% em Mogi

Para as eleições municipais do próximo domingo, eleitores mais velhos poderão decidir quem será o vencedor
Para as eleições municipais do próximo domingo, eleitores mais velhos poderão decidir quem será o vencedor - FOTO: Arquivo/Mogi News
As eleições municipais deste ano serão decididas pelos mais velhos em Mogi das Cruzes, isso porque, o número de eleitores idosos cresceu 23,3% e o de jovens aptos a votar caiu 40% na comparação com as eleições municipais de 2016. De acordo com o Tribunal Regional Eleitoral (TRE), para a votação deste ano, 63.761 eleitores com 60 anos, ou mais, e apenas 994 jovens com 16 e 17 anos podem comparecer às urnas. O levantamento foi realizado pelo Mogi News com dados do TRE.

Nestas eleições municipais em Mogi, o eleitorado idoso cresceu 23,3% na comparação com 2016. Agora são 63.761 votantes com 60 anos, ou acima, que correspondem a 19,9% dos 319.826 eleitores. Nas eleições de 2016, este mesmo grupo era composto por 51.697 e representava 17,4% do eleitorado de 296.944. O crescimento é de 2,5 pontos percentuais.

Por outro lado, o número de jovens votantes, aqueles que tem 16 ou 17 anos e, portanto, não são obrigados a votar, caiu 40% na comparação com o mesmo período. Neste ano, esse grupo é formado por 994 pessoas e compõe apenas 0,31% do eleitorado. Mas em 2016, esse número era quase o dobro. Na ocasião, estavam aptos para votar 1.658 jovens.

Na comparação com eleições anteriores, o grupo de eleitores jovens sempre foi menor e, se comparado a totalidade de eleitores da cidade, representou uma porcentagem pequena. Um dos fatores que pode explicar a relação é a própria não obrigatoriedade do voto nesta idade. Ainda assim, os dados podem indicar outras tendências, como desinteresse pela política e inversão da pirâmide etária com a tendência de crescimento da população mais velha no Brasil.

A redução deverá ser frequente nas próximas eleições se consideradas pesquisas recentes, como uma da Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade), publicada em outubro e repercutida por este jornal, que aponta que nos últimos 20 anos a população infantil de Mogi das Cruzes diminuiu 8%.

O fenômeno de crescimento do eleitorado idoso e redução dos jovens também foi observado em outros municípios do G5 - cinco cidades mais populosas do Alto Tietê.

Em Suzano, a quantidade de votantes com 60 anos ou mais subiu 23,2%. Para as eleições deste ano são 38.665 idosos, constituindo 17,7% do eleitorado geral suzanense de 217.959. Em 2016 eram 31.375 e estes representam 14,8% dos 211.653 cadastrados pelo TRE. O grupo jovem reduziu 66,9%, apenas 714 votantes podem participar das eleições este ano, o mesmo grupo era composto por 2.160 em 2016.

Em Itaquaquecetuba, 32% mais idosos deverão votar este ano, em números totais são 35.027 e constituem 14,6% dos 239.226 eleitores contabilizados pelo TRE. Nas eleições anteriores, esse mesmo grupo era de 26.520 e representava 11,8% dos 223.323 votantes em 2016. No mesmo período comparado, os jovens com 16 e 17 anos aptos ao voto caiu 60,7%, os 923 deste ano já foram 2.349 há quatro anos.

Ferraz de Vasconcelos viu seu eleitorado idoso aumentar 26,2%, esse percentual se traduz em 21.268 pessoas que compõe 16,2% dos 130.570 votantes em Ferraz neste ano. Em 2016 o grupo era composto por 16.843 e representava 13,4% dos 124.774 eleitores registrados na época. Já os jovens votantes caíram 57,4%, hoje são 596, mas em 2016 eram 1.401.

Poá, com o menor eleitorado das cinco cidades, também observou o mesmo fenômeno. Nos últimos quatro anos os votantes com 60 anos ou mais cresceram 20,5%, são 17.479 e 18,6% do eleitorado de 93.853 no município, nas eleições de quatro anos atrás eram 14.494 e compunham 15,4% dos 93.537. O grupo jovem é, hoje, 64,4% menor, estão aptos para votar este ano na cidade 339 e em 2016 o TER havia computado 954.

*Texto supervisionado pelo editor.

Deixe uma resposta

Comentários