Outros candidatos adotam cautela para anunciar apoio

Rodrigo Valverde (PT), 17,3% dos votos úteis (33.509) e Fred Costa (PDT), 0,96% (1.850 votos), candidatos que concorreram a prefeito nas eleições em Mogi das Cruzes e não receberam votos suficientes para chegar ao segundo turno, decidirão apenas amanhã quem irão apoiar na votação decisiva. O anúncio de Michael Della Torre (PTC), 1,07% (2.058 votos), deve ser realizado ainda hoje.

Até o momento, Marcus Melo (PSDB), 42,3% (81.555 votos) e Caio Cunha (Pode), 28,3% (54.591) não receberam apoio público oficial de nenhum candidato derrotado nas urnas.

Para Afonso Pola, professor e sociólogo, há um cuidado redobrado dos candidatos que ficaram no primeiro turno para o anúncio do apoio, para não desagradar seu eleitorado. Da mesma forma, Pola entende que há vantagens e desvantagens para Melo e Cunha de receber determinado apoio de alguns candidatos derrotados.

"Acho que existe uma cautela grande. Os candidatos do segundo turno se movimentam de forma lenta porque sabem que esse apoio tem bônus e ônus", disse o professor, se referindo à vinculação de imagem de Melo ou Cunha com candidatos tidos como radical, como Felipe Lintz (PRTB) ou mesmo Valverde e seu partido, o PT.

O anúncio do apoio do petista é um dos mais aguardados por parte dos candidatos ao segundo turno, isso porque há a possibilidade de Valverde apoiar Cunha ou de se abster neste segundo turno. Valverde confirmou à reportagem que não tem condições de apoiar Marcus Melo depois da forte oposição exercida por ele na Câmara Municipal nos últimos quatro anos. No mesmo sentido, Lintz também afirmou que não irá apoiar Marcus Melo, a quem fez duras críticas durante a campanha.

O sociólogo Pola acredita que o eleitorado dos candidatos derrotados não deve caminhar de forma homogênea, se dividindo em três grupos: parte migrando para Melo, parte para Cunha e outra para o voto nulo. "Só é impossível neste momento precisar qual é o tamanho destas partes", avaliou. "Mas não tenho dúvidas que isso deve ocorrer. É isso que traz um suspense maior para o resultado dessas eleições", completou Pola.

A reportagem tentou contato com Lintz, que, até o fechamento desta edição, não havia anunciado publicamente seu apoio. Miguel Bombeiro (Pros) 1,2% (2.319 votos) ainda não anunciou apoio. (F.A.)

Deixe uma resposta

Comentários