Quantidade de leitos de UTI diminuem 72,8% em Suzano

O número atual de leitos municipais destinados ao tratamento de pacientes com coronavírus (Covid-19) em Suzano é 72,8% menor do que o registrado durante a alta da pandemia na cidade. Até o final de junho, o município chegou a disponibilizar 103 leitos de UTI hoje são 28.

Diante da possibilidade de uma segunda onda da pandemia atingir o país, conforme ocorre na Europa e nos Estados Unidos, o número de leitos exclusivos para recuperação dos pacientes infectados com a Covid-19 é menor do que o registrado durante o pico da doença.

Até ontem, Suzano abrigava em seus hospitais municipais 28 leitos exclusivos para Covid-19, sendo estes dez de UTI reservados em parceria com o Hospital Previna, um leito UTI isolado, reservado para gestantes na Santa Casa de Misericórdia, 11 leitos avançados com respiradores, isolados no Pronto-Socorro (PS) Municipal e seis leitos de Enfermaria isolados na mesma unidade. Até quinta-feira, a taxa de ocupação era de 14,2%.

Até o final de junho, Suzano chegou a ofertar 103 leitos municipais, sendo os dez de UTI reservados junto ao Hospital Previna, um leito UTI reservado para gestantes na Santa Casa de Misericórdia de Suzano, 80 leitos enfermaria no Hospital de Quarentena e 12 leitos enfermaria no PS. A redução representa uma diferença de 72,8%.

A Secretaria de Saúde de Suzano informou que o acompanhamento da evolução de casos feito pela pasta em conjunto com o Comitê de Enfrentamento do Coronavírus do município demonstra que a capacidade de leitos da rede pública municipal atende às necessidades mesmo caso haja um aumento da demanda por internações.

A redução de leitos destinados a Covid-19 não é uma exclusividade de Suzano, mas apenas uma tendência que acompanhou a redução no número de casos e internações registrada nos últimos meses.

A Prefeitura informou que diante da preocupação de uma segunda onda a flexibilização dos leitos está em aberto, o Executivo municipal declarou que está atento às mudanças e adequações necessárias para garantir atendimento a todos os pacientes que precisarem.

"O comando da Secretaria Municipal de Saúde avalia que uma possível ampliação de leitos municipais aconteceria apenas em um cenário de crescimento acentuado no número de internações em um curto espaço de tempo, ultrapassando a capacidade de internação da rede municipal e da rede estadual, por meio da Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde (Cross)", declarou em nota.

Leitos estaduais

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde os hospitais estaduais do Alto Tietê mantém leitos reservados e exclusivos para Covid-19. No Hospital Regional Dr. Osíris Florindo Coelho de Ferraz Vasconcelos são 16 leitos de UTI e 12 de enfermaria. Na UTI, a ocupação é de 41,1%. O Santa Marcelina de Itaquaquecetuba opera hoje com dois leitos de UTI e 16 de enfermaria. Hoje, todos os leitos de UTI estão ocupados. No Hospital Luzia de Pinho Melo, são 23 leitos de enfermaria e 10 de UTI. Hoje, a taxa de ocupação é de 40% na UTI.