Cidade se destaca em ranking inédito do CLP

Mogi das Cruzes foi avaliada como a cidade mais competitiva dentre os cinco municípios mais populosos do Alto Tietê. Os dados são do ranking do Centro de Liderança Pública (CLP), divulgados na semana passada e levam em conta a atuação do poder público. Esta é a primeira vez que a entidade divulga esse levantamento .

O município foi classificado com nota geral de 53,40 pontos, na escala de 0 a 100, patamar acima da média do Estado de São Paulo (52,6), do Sudeste (50,0) e do Brasil (46,6).

Para compor a boa nota recebida por Mogi das Cruzes, alguns indicadores, dos mais de 55 analisados, se destacam, como a Segurança (nota 88,5), Saneamento e Meio Ambiente (84,15) e funcionalismo da máquina pública (76,1), acima da média do Estado e do Sudeste e do Brasil.

Segundo nota da CLP, a definição de competitividade em relação à gestão pública diz respeito à capacidade de "planejamento, articulação e execução" por parte do poder público no município, na promoção do bem estar social, atendimento às necessidades da população e geração de um ambiente de negócios favorável.

Na 82ª colocação do ranking, que contém mais de 400 municípios brasileiros, Mogi está a frente de Suzano, na 176ª colocação com nota de 48,8 pontos; Poá, com nota 50,3, na 140ª posição; Ferraz de Vasconcelos, com nota de 43,8 pontos na 261ª colocação; e Itaquaquecetuba, que fecha o G5 do Alto Tietê com nota de 43,7 pontos, na 279ª colocação da lista.

Barueri, São Caetano do Sul, São Paulo (todos no Estado de São Paulo), Florianópolis (SC) e Curitiba (PR) encabeçam a lista das cidades mais competitivas o Brasil. As cinco cidades menos competitivas estão todos no Pará: Marituba, Tucuruí, Abaetetuba, Tailândia e Moju.

Metodologia

O estudo considerou as 405 cidades do país com mais de 80 mil habitantes e analisou 55 indicadores. Os indicadores são organizados em três dimensões (instituições, sociedade e economia) e 12 pilares, como qualidade e acesso à saúde e educação, segurança, saneamento e meio ambiente, inserção econômica, sustentabilidade fiscal e funcionamento da máquina pública.